segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Resenha {Livro} O Hobbit (J.R.R. Tolkien)

Bom dia queridos leitores e leitoras do meu Brasil! Como vocês estão? Espero que bem ^^
Hoje vou falar de uma das leituras que fiz este mês e que, acredito eu, muitos já devem conhecer: O Hobbit, do grande mestre da literatura fantástica J.R.R. Tolkien.

Falar de uma obra de Tolkien é uma tarefa e tanto! Não é das mais fáceis, mas também não é impossível, e como eu tive de reler este ano para o clube do livro deste mês – após ter lido pela primeira vez a quase cinco anos – o livro que dá origem à grande saga do anel conhecida em Senhor dos Anéis, resolvi que resenharia este livro para vocês.
A história começa apresentando quem são os hobbits – esses que dão título ao livro –, seres estes que fazem parte da “mitologia” criada por Tolkien e que convivem neste mundo fantásticos com anões, elfos, magos, orcs e etc.

“Numa toca no chão vivia um hobbit. Não uma toca desagradável, suja e úmida, cheia de restos de minhocas e com cheiro de lodo; tampouco uma toca seca, vazia e arenosa, sem nada em que sentar ou o que comer: era a toca de um hobbit, e isso quer dizer conforto.”
(Tolkien, p. 1)

Logo em seguida conhecemos Bilbo Bolseiro, o protagonista da história, um hobbit bastante pacato, que gosta de viver no conforto de seu lar – como todo bom e velho hobbit gosta – e não é muito chegado a grandes aventuras e emoções.
Eis que num dia comum Bilbo recebe a visita de Gandalf, um enigmático mago que já atraíra a atenção dos hobbits ao usar seus fogos de artifício e soprar anéis de fumaça incomuns.
Após uma longa conversa com o mago, Bilbo se recolhe mais uma vez à sua toca e lá aguarda até o dia seguinte, quando receberia a visita de Gandalf mais uma vez para tomar chá; e chegando o dia seguinte, esperando ser Gandalf quem está a sua porta, Bilbo recebe uma visita ainda mais inusitada que a anterior: um anão que se apresenta como Dwalin. Logo após ele, outros tantos anões batem à sua porta - Balin, Kili, Fili, Dori, Nori, Ori, Oin, Gloin, Bifur, Bofur, Bombur e Thorin, totalizando treze anões numa inesperada visita à casa do pobre hobbit, que não estava entendendo nada daquilo. Por fim finalmente Gandalf aparece sem dar explicações a Bilbo, juntando-se aos anões para discutir com estes sua missão: a recuperação de seu ouro das garras do dragão Smaug.
Agora, onde Bilbo entra neste história? Ele será ninguém mais ninguém menos que o ladrão dos anões, aquele que os ajudará a recuperar seu ouro – nem que para isto precise roubá-lo de um dragão.

“- Sem dúvida, foi isso que trouxe o dragão. Dragões roubam joias e ouro, você sabe, dos homens, dos elfos e dos anões, onde quer que possam encontra-los; e guardam o que roubam durante toda a sua vida [...] ” 
(Tolkien, p. 22)

Ainda em choque com os recentes acontecimentos, Bilbo aceita o “trabalho” proposto pelos anões, que sem saber que Bilbo não é de fato um ladrão como Galdalf diz ser, prometem-lhe uma boa parte de seu tesouro quando o recuperarem. Então, com tudo já definido, os treze anões e o hobbit Bilbo partirão no dia seguinte rumo à montanha onde o dragão esconde todo o ouro dos anões. E a partir daí Bilbo descobrirá que jamais voltará a ser o mesmo hobbit tranquilo e sossegado que fora outrora.
A partir deste ponto não falarei mais sobre o livro para não estragar a surpresa dos que ainda forem ler esta história – pois se eu fosse contar a jornada dos anões e do hobbit certamente sairia algum spoiler e essa com certeza não é minha intenção. Mas já adianto que é uma história sensacional que deve ser lida por todos aqueles que gostam das boas histórias de aventuras. E embora a leitura seja um tanto cansativa às vezes, com suas descrições extremamente detalhadas de cenários e personagens – característica não só do autor, mas também da época em que fora escrita –, é algo delicioso de se ler.
Leia também e se encante pelas aventuras de Bilbo e cia. numa jornada rumo ao desconhecido repleta de aventuras, perigos e emoções.

297 páginas | 3° Edição | 2009 | WMF Martins Fontes




sábado, 24 de setembro de 2016

Cobertura de eventos literários no Rio de Janeiro - Setembro/2016

Saudações leitoras e leitores do Attraverso le Pagine!
Meu nome é Morgana e fui convidada pela Belle – editora deste blog – a escrever sobre os eventos literários em que estive presente no Rio de Janeiro no início do mês de setembro. 
Pra início de conversa, a semana do dia 05 a 11 de setembro estava recheada de eventos literários no rio de janeiro, um verdadeiro banquete pra quem adora ler e tudo o mais ligado a este mundinho fantástico da leitura. Vamos a lista:

06/09 – Lucinda Riley no Rio – Lançamento e noite de autógrafos dos 3 primeiros volumes da série As sete irmãs, publicados pela Editora Arqueiro;
07/09 – Lançamento e tarde de autógrafos do livro A rosa branca de Amy Ewing, 2º volume da série A cidade solitária publicada pela Leya;
09/09 – Turnê Megan Maxwell no Rio de Janeiro - Sessão de autógrafos do livro Desejo Concedido, publicado pelo selo Essência da Editora Planeta;
10/09 – Lançamento do livro Sonata em Punk Rock da Babi Dewet, publicado pela Editora Gutenberg.

Desses 4 eventos, estive presente em dois: no da Lucinda Riley e da Megan Maxwell.
Não foi a primeira vez que Lucinda Riley aterrissou em solo brasileiro – até onde pude investigar, esta foi a terceira visita da autora ao Brasil – e como sempre por onde passa, ela causou verdadeiro frissom. Antes de aterrissar no rio, Lucinda marcou presença na Bienal de São Paulo no dia 03/09, e desde lá vem mostrando seu estilo carismático. Ela desce do palco pra falar com os fãs, autografa livros em livrarias de aeroportos e sempre dá um jeitinho de bater um papo com os fãs por onde passa. 
No dia 07/09, uma terça feira, a autora irlandesa marcou presença na livraria Travessa do Shopping Leblon para a sessão de autógrafos dos seus últimos três lançamentos pela editora Arqueiro: As sete irmãs, A irmã da tempestade e A irmã da sombra. O primeiro ponto que destaco, foi a pontualidade da autora. Explico o porquê deste destaque: eu moro a duas horas e meia do Rio de janeiro. Levei cerca de 3 horas pra chegar ao local da sessão de autógrafos e ainda tinha que voltar pra casa na mesma noite, fato que eleva a pontualidade da autora a um patamar elevadíssimo! Dramas sobre distância a parte, Lucinda chegou a livraria animadíssima, cumprimentando todo mundo e irradiando bom humor. E, como Lucinda é Lucinda, achou necessário subir na mesa pra saudar a cerca de 90 pessoas presentes na sessão de autógrafos. Sempre simpática, arranhou saudações e pequenas frases em português. Bateu um papo com a galera, e, principalmente de como estava gostando de sua estadia no Brasil e do carinho dos fãs brasileiros, além de falar e responder a questões sobre os livros da série As sete irmãs.
Sobre a sessão de autógrafos, não houve limite de livros. A única exigência é que um dos livros deveria ser um dos lançamentos. Eu autografei 2 livros: o Volume 1 da série, As sete irmãs e um outro livro da autora lançado pela Arqueiro no primeiro semestre deste ano, A garota italiana, que são os livros que tenho da autora. Durante o autógrafo, ela me perguntou se eu já tinha lido os livros e eu, com minha cara de pau, disse a verdade, que AINDA não tinha lido, mas que leria em breve. Ela foi super simpática e disse que esperava que eu gostasse. Em minha defesa, comprei os livros dela a pouco mais de um me e espero lê-los ainda este ano. Após o autógrafo, tirei minhas fotos com ela e me despedi. Minhas impressões: Lucinda é simpática ao extremo e a editora Arqueiro – que organizou o evento – teve pontos positivos e negativos. Positivo: Disponibilizou fotógrafo oficial, os funcionários da editora se ofereceram pra tirar fotos com os celulares dos presente e, na minha opinião o principal, disponibilizou um tradutor do início ao fim do evento. Negativo: senti falta de brindes para os fãs. Não tinha nem mesmo os marcadores dos lançamentos e nós, amantes de livros, amamos marcadores. Fica a dica Arqueiro!
Meus dois livros da Lucinda autografados <3

Outra autora internacional que desembarcou no Brasil recentemente foi Megan Maxwell, mas isto não é novidade. A autora alemã radicada na Espanha já visitou o país diversas vezes. E desta vez, Megan veio em turnê de lançamento do livro Desejo Concedido, publicado pelo selo Essência da Editora Planeta, e que é o primeiro volume da Série Guerreiras, que, segundo a imprensa mundial, é a série da autora mais esperada pelas fãs, isto porque, a série foi batizada com o apelido dirigido carinhosamente a suas leitora: Guerreiras. Foi justamente na passagem de Megan pelo Rio de Janeiro que eu decidi conhecê-la. Ela compareceu a sessão de autógrafos no lançamento do livro na sexta, 09/09 na livraria Saraiva do Botafogo Praia Shopping. 
A princípio eu me surpreendi com a quantidade de pessoas no evento, cerca de 100 pessoas e mesmo quando estava indo embora ainda tinha gente chegando. Mas a surpresa durou pouco, pois descobri que Megan é super popular no gênero de romances eróticos – e isso explica minha ignorância com relação a popularidade da autora, pois até hoje não li quase nada desse gênero, que, definitivamente não é minha praia. Vocês podem estar pensando que fui lá só pra pegar autógrafo, já que eu nunca tinha lido nada da autora, mas não. Na verdade, fiquei impressionada com a ótima divulgação que a editora Planeta vem fazendo do livro, principalmente na Bienal de São Paulo este ano – Tinha um painel lindo com a capa do livro, com direito a figurino e adereços para tirar fotos, e eu é que não perdi a oportunidade! Com certeza vou acompanhar essa série, que se passa no século XVI na Inglaterra e, principalmente, na Escócia. O primeiro volume já está na minha lista de leituras do mês de outubro.
Não houve nenhum tipo de restrição quanto ao número de livros autografados – ela autografou todos os livros já publicados – bastava somente apresentar uma edição de Desejo concedido. Não houve bate papo, mas a Megan fez questão de conversar individualmente com cada fã durante os autógrafos, respondendo perguntas e querendo saber se éramos novas leitoras ou se já acompanhávamos o trabalho dela. Em resumo: Megan é a simpatia em pessoa, sem falar que ela fala um ótimo portunhol! Elogios a Megan aparte, não poderia deixar de registrar a ótima organização do evento. Tudo começou pontualmente e bem organizado, a fila estava enorme, mas não houve tumulto. A editora chegou a enviar os marcadores do livro pra livraria, mas infelizmente eles não chegaram a tempo – uma pena! Mas não saímos de mãos vazias. Todos receberam uma tattoo estilizada com o formato do “brasão” da série guerreiras.
Meu livro autografado <3

Os eventos foram ótimos! Gostaria apenas de frisar que eventos desse tipo geram um alto custo – ainda mais em tempos de crise como agora – e, portanto, devemos valorizar o empenho das editoras comparecendo a eles. Assim, cada vez mais as editoras e organizadores de eventos literários se sentirão mais incentivados e animados a nos proporcionar essas experiências e alegrias.
É isso. Beijão e até a próxima!


quinta-feira, 22 de setembro de 2016

Evento: Encontro de Livreiros (e blogueiros) da editora Sextante

Boa tarde meus queridos leitores e leitoras. Tudo bem com vocês?
Hoje contarei um pouquinho sobre o que rolou no encontro de livreiros (e blogueiros) das editoras parceiras Sextante e Arqueiro que aconteceu na última terça-feira, dia 20 de setembro, aqui no Rio de Janeiro. 
O evento contou com a presença da equipe da editora Sextante e do jornalista Vladimir Netto, autor do livro Lava Jato, recém lançado pela editora. 
Num bate papo descontraído que durou horas – mas que pareceram minutos –, Vladimir Netto nos contou um pouco do que se trata seu livro, como foram realizadas as pesquisas para que ele pudesse ser escrito, além de situações que ele passou como jornalista ao analisar a operação Laja Jato – que ainda não teve fim.
(O jornalista Vladimir Netto falando de seu livro)

Após o bate papo, os editores da Sextante nos apresentaram os livros da editora deste segundo semestre de 2016, tanto os que já foram lançados quanto os que serão lançados até o final do ano.
(Alguns dos livros recém lançados da Sextante e outros que serão lançados em breve - e eu já estou doida pra ler vários deles *-*)

E em seguida foi a vez da apresentação dos lançamentos da Arqueiro deste semestre, que já trouxe e trará mais ainda uma seleção bastante diversificada de obras literárias – desde os famosos romances de época aos livros de fantasia: para todos os gostos \0/
(Alguns dos lançamentos da Arqueiro - também já quero um monte *---*)

Além dos lançamentos das editoras, conhecemos também um pouquinho sobre sua fundação, a decisão da abertura do selo Arqueiro – que segue uma linha editorial diferente da proposta pela Sextante –, e ainda ganhamos um lindo kit contendo uma ecobag da série As sete irmãs da Lucinda Riley, os livros Lava Jato e O medo mais profundo, do Harlan Coben (que eu já estou louca pra ler. Os dois *-*), mapa de Meio Rei, marcadores e bottons <3
(Essa bolsa gigante é a coisa mais linda desse mundo, minha gente *-*)

Adorei este evento organizado e quero deixar aqui registrado meus parabéns a toda equipe Sextante e Arqueiro pela organização do evento (ponto super positivo para a editora) e já aguardo ansiosamente pelos próximos, que se possível estarei presente. 


segunda-feira, 19 de setembro de 2016

{Universo Nerd} HQ - Shazam! (Jeff Smith)

Olá queridos leitores e leitoras do meu Brasil! Como vocês estão? 
Hoje inauguramos uma nova coluna aqui no blog (yeah \0/), a Universo Nerd, onde falaremos de livros, HQs, games e tantas outras coisas desse mundo que tanto amamos *-*
Para começar os posts dessa nova coluna trouxemos a resenha da HQ de Shazam. Confiram a seguir e boa leitura ;)

HQs são ótimas formas de passar o tempo. Então, num sábado de manhã resolvi pegar emprestada a HQ do Shazam que dei de presente para meu namorado e ler. Nunca havia lido nada desse super herói, também conhecido como Capitão Marvel. Nessa HQ de Jeff Smith, conhecemos um garotinho que mora nas ruas, Billy Batson. Durante uma conversa com seu amigo Malhado, Billy avista um homem todo de preto e o segue, chegando, assim, num lugar desconhecido onde há um mago. É assim que Batson “se torna” o Capitão Marvel. Billy e Marvel se tornam um só, completando um ao outro. E é assim que eles enfrentam um vilão nojento, que comanda diversos monstros (e insetos). Sim, a parte mais nojenta é o mar de baratas que aparece tentando matar Billy, a princípio. Se você tem estômago fraco e odeia insetos, principalmente baratas, melhor não ler. Mas o quadrinho tem pitadas de humor e fofura com a pequena Mary Marvel. Sem mencionar que a ilustração é muito bonita. “Shazam! & A Sociedade dos Monstros”, publicada pela Panini Books, reúne 4 histórias originalmente publicadas entre os meses de abril e julho de 2007, contém 212 páginas (capa dura) e custa em torno de 20 reais (comprei por R$ 19,90 na Amazon).
Vale a pena se você curte HQs e a DC. Shazam! 







Dados da revista: SMITH, Jeff. Shazam! & A Sociedade dos Monstros. Roteiro e tradução de Rodrigo Oliveira e Bernardo Santana. 1. ed. Barueri, SP: Panini Books, 2014. 

quinta-feira, 15 de setembro de 2016

Resenha {Livro} - Amor Plus Size (Larissa Siriani)

Sabe aquele livro onde você logo se identifica com a personagem principal? Daqueles que tem hora em que você está lendo e pensa "Nossa, essa sou eu!" ? Então, foi exatamente assim que me senti ao ler Amor Plus Size, mais novo lançamento da paulistana Larissa Siriani (autora também da trilogia Coração da Magia, dentre outras obras).

Após o prólogo que será concluído ao final do livro - e do qual eu não vou falar para não estragar a surpresa -, conhecemos Maitê, a protagonista da história.
Maitê é uma jovem de 17 anos que está cursando o 3° ano do Ensino Médio e não vê a hora de sair do colégio, onde só tem má recordações. Com uma "arqui-inimiga", Maria Eduarda, que a inferniza todo santo dia, um crush com um colega de sala nem fala com ela, Alexandre, e poucas pessoas que pode chamar de amigos, apenas duas meninas do 2° ano, Josi e Val, além de sofre bullying por conta de seu peso, Maitê passa as horas na escola sendo ignorada, como se fosse invisível, ansiosa por voltar pra casa para passar o dia com seu melhor amigo desde sempre, o aspirante a fotógrafo Isaac.
Como se não bastasse o problema com os amigos (ou "melhor", a falta deles) na escola, Maitê ainda tem que aturar sua mãe, que vive mandando a menina à médicos e fazendo mil dietas para que a menina perca peso, sem nem suspeitar que isso, toda essa situação a deixa bem pra baixo e desconfortável (Maitê, eu super te entendo).

"[...] Eu odiava os números na balança e tudo que vinha com eles: a dificuldade para caminhar, o fato de não caber direito na carteira da escola, o bullying, minhas inseguranças. Eu tinha nojo da minha franqueza, me desprezava pela minha forma. Eu não estava feliz."
(Larissa Siriani, p. 59)

Num dia comum de aula a professora de Geografia de Maitê passa um trabalho para sua turma que deverá ser feito em duplas, e como Maitê não mantém muita relação com seus colegas ela se vê desesperada, pois não sabe com quem poderá fazer o tal trabalho (mais uma vez te entendo, amiga <3); até ela percebe que terá de fazer com quem ela menos esperava, Alexandre, o tal crush quem nem sabe que ela existe. 
Depois de fazer o trabalho com Alexandre, Maitê descobre que ele é uma boa pessoa afinal, um bom amigo até. Só que ela quer algo mais que um amigo. Mas será que ele também a enxerga assim?

"Eu nunca tinha me sentido bonita, bonita de verdade. Já tinha me sentido bem, até simpática, mas nunca olhei para mim mesma e pensei que era alguém que pudesse chamar atenção - pelo menos não por um bom motivo. Desde sempre eu tive por base aquilo que aparentemente todo mundo enxergava de mim: Maitê, a gorducha, a caladona, a desajeitada, a mal-arrumada, a garota que deixa a mãe comprar as próprias roupas, que tem belos olhos perdidos em uma cara torta. Eu estava tão acostumada a todo mundo botando defeito em mim que aquilo tinha se tornado natural, parte de quem eu era."
(Larissa Siriani, p. 112)

Entre os dias da menina com seu mais novo amigo, Maitê nunca perde uma oportunidade de ir à casa de seu melhor amigo, que sempre atencioso a conforta quando ela está chateada, seja com o crush que não a vê como ela esperava ou com a mãe e as dietas malucas, sempre compartilhando bons momentos juntos. E depois de passar por mais uma situação constrangedora e que a deixa muito chateada, Isaac mais uma vez a "socorre", fazendo o que dois bons amigos fazem de melhor: divertir-se juntos. Porém mal sabia Maitê que a partir desse dia sua vida estaria prestes a mudar para sempre...
A partir daqui não vou contar mais nada da história serão teremos spoilers (e Deus me livre dar spoilers a vocês), então comentarei algumas particularidades da história. A primeira delas foi a identificação com a Maitê, nossa protagonista. Em inúmeros momentos me senti no lugar da Maitê, fosse na escola sendo ignorada, fosse com a pressão para perder peso, e principalmente sofrendo com o bullying dos "colegas". Não são coisas que eu goste de lembrar, mas ter isso retratado num livro - e depois ver a personagem superando tudo - foi espetacular! Não é todo dia que vemos (ou lemos) algo cuja protagonista é uma garota gordinha e que sofre preconceito por isso (pelo menos não como protagonista), então minha identificação foi imediata. Sem falar no crescimento dela ao longo da narrativa: seu amadurecimento foi absurdo, e você percebe até mesmo em pequenos detalhes na escrita, que em determinado momento não foca mais no fator peso da personagem (não sei se foi só impressão minha, mas acredito que a ideia tenha sido essa).
Outro ponto que vale destacar são algumas das demais personagens que permeiam a trama. As amigas da Maitê, Val e Josi, são um show a parte! Sempre se empenham em fazer a amiga sorrir, são fofas e engraçadas, o que deixa os dias na escola mais alegres. E o que falar do Isaac senão que ele é o melhor amigo que alguém poderia ter?! Fofo ao extremo, nerd (como a Maitê, mais uma coisa com a qual me identifiquei *-*), amigo daqueles que se pode contar em qualquer hora! Ah, e não posso deixar de falar do Lucca, irmão caçula da Maitê, que é simplesmente a coisinha mais linda desse mundo! Sabe a sinceridade de criança?! Então, ele tem de sobra, e usa isso pra levantar o astral da irmã sem nem sentir. É muito amor, minha gente!
Por fim, o livro é recheado de referências ao mundo nerd, de Star Wars e Star Trek a Game of Thrones; e trás um mensagem lindíssima de aceitação e amor próprio. 
Este é, sem dúvida, um dos meus livros favoritos da VIDA, e que eu queria muito ter lido nos meus 15, 16 anos - mas tenho certeza que mesmo agora nos meus 20 e tantos ele conseguiu me ajudar um pouquinho nessa loucura chamada vida.

274 páginas | 1° edição | 2016 | Verus