quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Retrospectiva Literária 2015



Bom dia, queridos leitores e leitoras do meu Brasil \0/ Como vocês estão? 
Há dois anos, no longínquo (cof cof) 2013 participei da retrospectiva literária que o blog Pensamento Tangencial faz todo ano com outros blogs. Foi a primeira (e única até então) vez que participei e adorei responder as perguntas da retrospectiva *-* (aqui você encontra o post). Então, esse ano resolvi participar novamente para descobrir como foi meu "ano literário". Vamos às perguntas e respostas?! *-*

A aventura que me tirou o fôlego: Os dragões de Titânia - A maldição dos templos (Renato Rodrigues) - Vontade de matar o autor pela tensão que eu senti junto com os personagens :S
O terror que me deixou sem dormir: O Vilarejo (Raphael Montes) - Mentira, eu dormi sim (até tive bons sonhos :P); mas foi um terror maravilhoso *-*
O suspense mais eletrizante: Caixa de pássaros (Josh Malerman). - Suspense/Thriller mais empolgante de todos *-*
O romance que me fez suspirar: Simplesmente acontece (Cecelia Ahern) - A história com mais encontros e desencontros da face da terra; e sem dúvida um romance fofinho ^-^
A fantasia que me encantou: A arma escarlate (Renata Ventura) - Enfim pude conhecer a história dos bruxos brasileiros. Livro bem escrito, história bem estruturada e que nos deixa com gostinho de quero mais. Doida pra ler a continuação <3
A saga que me conquistou: Instituição para jovens prodígios (L.L. Alves) - Não sei porque cargar d'água demorei tanto pra ler essa saga incrível! A Lu, como sempre, arrasando nos seus livros. Parabéns, parabéns e parabéns \0/
O clássico que me marcou: Ensaio sobre a cegueira (José Saramago) - Apesar do jeito "peculiar" da narrativa do Saramago, me encantei pela história criada por ele, que nos diz muito sobre nós mesmos.
O livro que me fez refletir: À procura de Audrey (Sophie Kinsella) - Mais uma vez me identifiquei de cara com os personagens dessa autora num livro que aborda assuntos sérios de maneira leve.
O livro que me fez rir: Magnus Chase e os deuses de Asgard: A espada do verão (Rick Riordan) - Já começa pelo título (Espada do verão é sacanagem XD); fora isso, o personagem principal, Magnus, é hilário! Tio Rick caprichou nesse! Ganhou meu coração e me conquistou muito mais que os protagonistas de Percy Jackson (só fiquei dividida com os de As crônicas dos Kane :S)
O livro que me fez chorar: Dessa vez não chorei com livro nenhum (pra dizer a verdade, não sou muito de chorar com livro não :x)
O livro que me decepcionou: Não me decepcionei com nenhum livro esse ano (até o que eu menos gostei, já esperava pouco dele, então não foi decepção. Ufa!).
O livro que me surpreendeu: Guerra civil (Stuart Moore) - Antes de ler esse livro, estava beeeem "afastada" do universo Marvel (só tinha visto "Os Vingadores" no cinema e algumas partes de outros filmes desses heróis incríveis!). Depois de ler esse livro incrível, pude conhecer mais sobre esse universo fantástico, pesquisei muito mais coisas, li algumas HQs, vi séries e filmes (completos dessa vez); enfim, foi demais \0/ Viva Marvel \0/
O livro que devorei: Os dragões de Titânia - A maldição dos templos (Renato Rodrigues) - Li o terceiro livro da série esse ano (o livro citado foi o quarto) e logo em seguida peguei o quarto livro pra ler. Em uma semana devorei-o e já quero a continuação. Pena que o autor ainda tá escrevendo :S
O livro que abandonei: História da língua portuguesa (Paul Teyssier). - Esse livro fez parte das leituras obrigatórias do meu último período da graduação no começo do ano; eu até comecei a ler mas depois não teve jeito: larguei, pois estava muito chato, e voltei aos livros da monografia (que foram ótimas leituras, por sinal).
A capa que amei: Gata garota - vol. 1  (Fefê Torquato) - Na verdade é uma HQ, mas como foi uma das leituras desse ano, não pude deixar de mencioná-lo. Você pode ver a capa clicando aqui. Fofíssima (capa e história).
O thriller psicológico que me arrepiou: Caixa de pássaros (Josh Malerman) - Não sei bem se é Thriller psicológico, mas me arrepiou; fora a angústia que eu sentia pela situação das personagens O.O Ps.: Estou devendo uma resenha desse livro, eu sei. Mas já adianto: leitura recomendada e quase obrigatória!
A frase que não saiu da minha cabeça: Nenhuma dessa vez :/
O(a) personagem do ano: Magnus Chase.
O casal perfeito: Miranda e Alambique, da série Os dragões de Titânia. Impossível não amar 
O(a) autor(a) revelação: Renato Rodrigues e L.L. Alves
O(a) autor(a) que mais esteve presente entre as minhas leituras: L.L. Alves - Finalmente coloquei em dia as leituras da minha escritora-amiga-parceira linda, a Lu 
O gênero literário que mais li: Aventura. 
O gênero literário que preciso ler mais: Fantasia. 
O melhor livro nacional: Dragões de Titânia - A maldição dos templos (Renato Rodrigues) e As GRANDES aventuras de Daniella (L.L. Alves). - Não teve jeito! Impossível escolher um só. Dois livros maravilhosos de autores incríveis!!! Li e recomendo!
O melhor livro que li em 2015: Essa é difícil. Muito difícil :S Mas tá, lá vai: Ensaio sobre a cegueira, do José Saramago. Não imaginei que fosse gostar tanto desse livro, mas no final das contas adorei \0/ Uma das leituras acadêmicas (se não a única XD) que me conquistou a cada página *-*
Fiz em 2015 64 leituras, entre livros físicos, ebooks e HQs *-*.
A minha meta literária para 2016 é: Ler, pelo menos, 12 livros pré selecionados (um pra cada mês sem ordem de leitura definida), os livros pra monografia da pós, 2 livros em inglês e 2 clássicos (um para cada semestre). O que vier além é lucro :P

-----------------------------

Agora é com você! Como foi seu ano literário? Muitas leituras boas? Leu mais (ou menos) livros do que pretendia? Deixe nos comentários ^-^

quinta-feira, 24 de dezembro de 2015

Resenha {Livro} - Deixe a neve cair (John Green, Maureen Johnson, Lauren Myracle)

Escrito por três autores (Maureen Johnson, John Green e Lauren Myracle), Deixe a neve cair trás três pequenas histórias - cada uma contada por um escritor - sobre "a magia do natal" e o amor que acontece quando menos se espera.
Passadas na véspera, na noite e após o natal, as histórias acontecem na pequena cidade de Gracetown durante uma forte nevasca que deixa todos "presos" no local. As histórias se entrelaçam e se complementam, havendo ocasionais encontros das personagens de uma história nas outras (a maioria das personagens aparecem nas três narrativas, mesmo que sejam apenas mencionadas).
Comentarei agora um pouco sobre cada história isoladamente, e prometo que não darei spoiler ;)

O expresso Jubileu (Maureen Johnson)
Jubileu, uma jovem apaixonada, estava bastante empolgada com a noite de natal que passaria com o namorado, Noah. Tudo corria bem até que uma notícia inesperada faz com que Jubileu tenha que mudar seus planos e embarcar numa viagem de trem para passar o natal com seus avós. Porém, uma nevasca acaba mudando novamente o destino de Jubileu, que acaba indo parar na pequena cidade de Gracetown, onde descobrirá enfim o que é o amor verdadeiro.

"Meu nome tem muito a ver com esta história e, como eu disse, era a tarde antes do Natal. Eu estava em um daqueles dias em que você sente que a vida... gosta de você. As provas tinham acabado e a escola estaria em recesso até depois do ano-novo. Eu estava sozinha em casa, que estava bem aconchegante e acolhedora [...]"
(Maureen Johnson, p.10)

"[...] Já tinha visto lufadas de neve e mesmo neve firme que cobria dois a cinco centímetros, mas aquilo era grudento e pesado, e os flocos eram do tamanho de moedas. Dentro de segundos, eu estava ensopada [...]"
(Maureen Johnson, p.50)

O milagre da torcida de natal (John Green)
Na véspera de natal, três inseparáveis amigos  - Tobin, JP e Duke - ficam presos na casa de Tobin por conta de uma grande nevasca que atingiu sua cidade, Gracetown. O que os três não esperavam era que Keun, seu amigo e funcionário da Waffle House da cidade, precisaria da "ajuda" deles para tentar conquistar um grupo de líderes de torcida (que ficaram presas na cidade após uma nevasca atrapalhar a viagem de trem delas) - o que ocasionará na maior aventura do trio até chegarem ao amigo, além de uma surpresa super fofa.

"[...] Uma luz distante na rua iluminava a neve como um bilhão de estrelas cadentes em miniatura. E, ainda que odiasse incomodar meus pais ou privá-los de um Natal em casa, não pude evitar desejar mais neve."
(John Green, p. 125)

"Não num castelo nem numa mansão, mas numa Waffle House encontraremos salvação! - gritei."
(John Green, p.187)

O santo padroeiro dos porcos (Lauren Myracle)
Addie é uma verdadeira "rainha do drama". Após brigar com seu namorado por este não expressar seu amor por ela como ela esperava (ao extremo), Addie se sente sozinha e devastada. Mas suas duas melhores amigas, Dorin e Tegan, farão de tudo para que a amiga se sinta mais feliz; e, nesse processo, ela descobrirá que a vida não gira em torno dela, não é feita de extremos e a amizade, assim como o amor, existem para todos.

"Ser eu era uma droga. Ser eu naquela noite supostamente estonteante, com a neve supostamente estonteante se acumulando em montes de um metro e meio do lado de fora da janela do meu quarto era duplamente uma droga. Acrescentando a isso o fato de ser Natal, minha pontuação subia para triplamente uma droga [...]"
(Lauren Myracle, p. 207)

"- Você só precisa dar uma boa olhada em si mesma, mudar o que precisa ser mudado e seguir em frente, querida."
(Lauren Myracle, p. 281)

As três histórias são bem escritas, com personagens cativantes e verossímeis: você percebe que poderia ser um deles ou que eles (e seus amigos) poderiam ser pessoas próximas de você. E é possível perceber o crescimento de cada personagem ao longo das narrativas (apesar de serem curtinhas).
No final ficou difícil escolher minha história favorita, pois as três possuem seus altos e baixos, mas sem dúvida a historinha da Jubileu foi a que mais me encantou (o que se deve, provavelmente, aos personagens secundários, os quais não citei para não estragar a surpresa ^-^).
Leitura mais do que recomendada, especialmente para essa época maravilhosa de fim de ano <3

------------------------------------------------

Falando agora um pouquinho dos aspectos visuais do livro, a edição da Rocco (lançada em 2013) possui uma diagramação simples e bonita, assim como a capa, que remetem sempre à neve.

Capa e contra capa fofas ^-^
Detalhes no início de cada capítulo <3

335 páginas | 1° edição | 2013 | Rocco





sábado, 19 de dezembro de 2015

{Te lo dirò} E a força despertou *-*

Na última quinta feira, 17 de dezembro de 2015, foi a estreia de um dos filmes mais aguardados do ano: Star Wars - O Despertar da Força, que se passa 30 anos após os acontecimentos do último filme da trilogia clássica, Star Wars - O Retorno de Jedi
Resumindo (muito) o filme, a história começa com o "desaparecimento" do nosso querido Jedi Luke Skywalker, filho amado do maior lorde Sith de todos os tempos, Darth Vader ♥ Ao longo do filme esse sumiço repentino do Luke é explicado (e eu não vou comentar nada sobre isso aqui senão será spoiler), e nesse processo é onde entram os lindos e maravilhosos personagens da trilogia clássica: Leia, Han Solo, Chewbacca, C-3PO e R2D2 (Muita emoção rever esses personagens tão queridos). Além deles, conhecemos agora os novos personagens que irão compor essa nova trilogia: Finn, Rey e BB-8 . E claro, Kylo Ren (ódio dele; assistindo ao filme vocês entenderão). Somando-se a isso, temos as já conhecidas explosões, guerras de sabres de luz (amo/sou *-*), brigas por poder e toda a magia que Star Wars é capaz de nos proporcionar. 
It's Star Wars, baby 
E caramba, ver Star Wars no cinema pela primeira vez foi... inexplicável! Os filmes da trilogia clássica eu não assisti no cinema por motivos de: não era nascida :P E a trilogia "nova" eu não assisti porque na época eu via Disney (ainda vejo) e Xuxa e os Duendes no cinema (esse não vejo mais XD); mas eu sempre assistia em casa porque meu pai tinha os DVDs das duas trilogias, então desde pequena eu assistia e me encantava com aquilo tudo. Aí quando anunciou que a franquia tinha sido comprada pela Disney e que lançariam mais três filmes eu fiquei: MEU DEUS, NÃO ACREDITO. EU VOU VER STAR WARS NO CINEMA!!! CACILDA!!! (acrescente os desenhos de cobras, lagartos e bombas, porque eu xinguei muito de emoção XD). Então já na sala do cinema vem o famoso "Há muito tempo, em uma galáxia muito distante..." e o logo do filme aparecendo na tela grande com a música clássica da saga... Foi, foi... mágico! 
"Eu vou terminar o que você começou" (Kylo Ren)
Esse sem dúvida foi um dos melhores filmes da franquia, com qualidade equiparada aos filmes da trilogia clássica (não que os filmes da "nova" trilogia sejam ruins, mas...). Cheio de referências dos filmes anteriores (Capitão América curtiu isso :P), humor (mais do que os anteriores), imensas doses de fofura (BB-8, seu lindinho *-*) e muita emoção, Star Wars - O despertar da força foi...
lindo, épico! Foi Star Wars *-*

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

Resenha {Livro} - Talvez nunca mais um país (Flavio P. Oliveira)

O mundo como o conhecemos não existe mais. Após dois vírus - um que acabou com o petróleo, outro que reduziu drasticamente a população - quase levarem a humanidade à extinção, máquinas/robôs são cada vez mais comuns e até mesmo em maior número que os seres humanos.
Dentre os sobreviventes do vírus (que origina a doença de Hoosbardo), existem aqueles que são imunes, trabalhando nas sombras como salvadores dos que ainda restam (e que possuem recursos para tanto), e entre esses "salvadores" está Miguel, nosso protagonista.
Narrado de forma não-linear, intercalando o presente com fatos do passado, Miguel nos apresenta sua história, desde sua infância e adolescência com os amigos e os avós - e quando o mundo ainda não fora devastado - até os dias atuais, atuando como salvador e sonhador num mundo desolado.

"A arte ainda não morreu. Voltando para casa, vi um vândalo construindo esculturas na areia da praia, misturava as próprias fezes para conseguir uma pasta resistente. Ele me fez lembrar de Medo, a criatura mais horrenda do colégio. Velho amigo, morreu cedo e não conheceu as salas de prolongamento."
(Flavio P. Oliveira, p. 18)

Entre a constante luta pela sobrevivência, vemos o protagonista e seus amigos, colegas e pessoas próximas tentando "viver" além da mera sobrevivência, mesmo quando tudo parece perdido, ora por conta das inúmeras mortes ora pelo autoritarismo dos governantes - que piora cada vez mais assim como o mundo torna-se mais ruim de se viver.

"Não sou dos resmungões, querer mais, pois vivemos o fim dos tempos, nada melhora... Talvez esteja apenas amargurado ou depressivo. A vida passa e quem espera nunca alcança. Também não sou feliz, mas sou bem-humorado."
(Flavio P. Oliveira, p. 23)

Com uma escrita única, singular e quase poética, Flavio P. Oliveira nos mostra um futuro não tão distante numa distopia nacional bem escrita e estruturada. O mais "assustador" é que, como boa distopia que é, a história é muito real, palpável, fazendo com que nos perguntemos se aquilo pode de fato vir a acontecer caso não hajam mudanças significativas no nosso modo de pensar  e agir.

"A caça aos defensores dos regimes democráticos - gatos-pingados entre hienas raivosas, coelhos na cova de leões, punhado de nada, resquício do passado - prossegue mesmo sem guerra ou possibilidade de revolução [...]"
(Flavio P. Oliveira, pp. 73-74)

Meu exemplar autografado e o atestado de parceria com a editora Delirium *-*

O tipo de leitura que incomoda, instiga e nos prende até a última página. Agradeço muitíssimo ao autor (cuja parceria com o blog tem uns bons três anos ^-^) pelo exemplar cedido para leitura e resenha.
Leitura mais que recomendada!

237 páginas | 1° edição | 2015 | Delirium Editora




quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

{Te lo dirò} Livros interativos: uma nova moda literária

Foi-se o tempo em que os livros eram somente aqueles que continham nossas tão amadas histórias. De Destrua este Diário a Jardim Secreto, os livros interativos estão surgindo cada vez mais e com mais variedade em questão de interatividade, seja para colorir (os famosos livros antiestresse) ou para completar mini desafios, como o Livro de marcar livros. São tantas opções de livros interativos que a gente fica até em dúvida de qual escolher :P E nessa indecisão, acabei optando por quatro livros, que comprei ao longo do ano quando surgia uma promoção *-*
Primeiro vou falar dos livros para colorir que eu comprei. São esses aí da foto ^-^
O primeiro que adquiri foi o Floresta Encantada, segundo livro da autora Johanna Basford (a mesma do Jardim secreto, lançado esse ano pela editora Sextante/Arqueiro). Logo assim que o primeiro livro foi lançado, não dei muita atenção. Porém, depois de ver alguns desenhos já coloridos pela Internet, fiquei curiosa para saber como ele era e também encantada com a criatividade da galera que estava pintando ele *-* Então, quando saiu esse segundo livro, aproveitei que tinham acabado de chegar alguns exemplares dele na livraria onde eu trabalhava e separei um pra mim. Fiquei logo apaixonada pelos desenhos e pelas possibilidades de pintura que poderia fazer com cada um.
Esses foram dois desenhos que eu colori. Cheguei pintar alguns outros, mas ainda tem um monte de desenho em branco só esperando os lápis de cor para darem mais vida a eles *-*
O segundo livro de colorir que eu comprei é sobre, advinha? Gatos \0/ Não é mistério pra ninguém que eu sou apaixonada pelos bichanos (tenho cinco peludos em casa), e quando vi que a Galera Record havia lançado esse não pensei duas vezes: corri pra garantir o meu.
É cada desenho mais bonito que o outro; e o legal é que não vem apenas o gato (ou gatos) por página para você colorir: é todo um cenário, às vezes surreal, onde o bichano é o centro do desenho que se complementa com os elementos a sua volta. E o diferencial desse livro é que as imagens vêm somente de um lado da folha, o que te dá a possibilidade de tirar essas folhas após colori-las para usar como decoração ou para presentear alguém, por exemplo - e na parte de trás da folha, que vem em branco, tem aquele desenho da tesourinha com pontilhado indicando onde você pode recortar. Eu ainda não fiz isso, mas pretendo fazer com alguns desenhos que for colorir para presentar (já pintei um assim, só falta recortar).
Saindo um pouco (ou totalmente) dos livros de colorir, comprei esse ano também esses dois livros da foto.
O primeiro deles, o livro do bem, consiste em mini desafios para deixar a vida mais feliz (como diz na capa ^^). Criado pelas talentosíssimas Ariane Freitas e Jessica Grecco, do Indiretas do Bem, uma página muito legal (e fofa), famosa pelas "indiretas do bem" (fotos com frases positivas dando aquela indireta para seus amigos, familiares e afins) publicadas pelo instagram e facebook, o livro nos estimula a realizar pequenas tarefas que alegraram nosso dia e dos que estão a nossa volta.
Dividido em capítulos, onde cada um possui um "tema" (entre eles, o amor), o livro conta com playlists, receitas, páginas com desafios de escrita, desenho e pintura, que podemos compartilhar pelas redes sociais com a tag #livrodobem - causando interatividade também entre os leitores do livro. É muito amor ♥
Por fim, o último livro que comprei foi o Livro de marcar livros, lançado pela editora Verus na época da Bienal do Livro Rio 2015. Ele conta com pequenos desafios perfeitos para nós, leitores, como ler livros dos ganhadores dos prêmios Nobel de Literatura (desde seu surgimento, em 1901), do prêmio Jabuti, além de listas para preenchermos com as leituras que fizemos em determinado período, livros que pretendemos ler em outro período, livros que foram adaptados para o cinema, entre outras bem legais.
Ainda estou preenchendo meu livrinho, sem pena de escrever, marcar e até pintar algumas partes ^-^ 
O mais legal que todos esses livros nos proporcionam é a oportunidade de "romper" a barreira livro-leitor, fazendo com que a gente se sinta parte daquilo tudo (como parte de uma história, seja a de nossas leituras, de nossos sonhos, nossos desejos... enfim, a nossa história). Espero profundamente que essa moda continue cada vez mais, sem que deixemos de lado, é claro, nossos amados livros "convencionais".