quinta-feira, 31 de março de 2016

Desafio Queria Estar Lendo: Eu e as Mulheres da Literatura

Março foi o "mês da mulher", então o blog Queria Estar Lendo criou o desafio literário Eu e as Mulheres da Literatura, que consiste em tirar uma foto por dia, do dia 1° de março até hoje, dia 31, cujo tema é algo relacionado com a mulher na Literatura (para mais informações, clique aqui). Eu (Belle) e a Moony fomos convidadas a participar do desafio e hoje, último dia do desafio, trouxemos esse post com as perguntas respondidas (preparem-se pra um post gigante XD).
Vamos lá?

Eu e as #MulheresdaLiteratura

1 - O primeiro livro escrito por uma mulher que você leu;
Pollyanna Menina, de Eleanor H. Porter - li-o no terceiro ano do Ensino Fundamental (Belle)

2 - O seu livro preferido escrito por uma mulher;
Série Harry Potter, de J.K. Rowling - Rainha/Diva/Musa/Deusa Rowling <3 (Belle)

3 - O seu livro preferido protagonizado por uma mulher;
Série Jogos Vorazes, de Suzanne Collins - Katniss rules \0/ (Belle)

4 - Sua autora preferida;

J.K. Rowling <3 (Belle)

5 - Um livro com uma amizade forte entre mulheres;
 
The devil wears Prada, de Lauren Weisberger - Apesar de suas diferenças e dos desentendimentos ao longo do livro, Andrea e Lily possuem uma amizade que se mostra bastante forte no final da história. (Belle)

6 - Um livro com uma heroína que salva a si mesma;
Série Jogos Vorazes - Katniss, porque né?! *-* (Belle)

7 - Um livro com uma heroína que não tem medo de armas e lutas;
Série Jogos Vorazes - Katniss sempre arrasando! (Belle)

8 - Um livro de romance escrito por uma mulher;
Sonhei que amava você, da Tammy Luciano - Literatura Nacional \0/ E a autora é um amorzinho <3 Ainda tenho que ler, mas já conheço um pouco da história e parece ser bem fofo ^-^ (Belle)

9 - Um livro de romance policial escrito por uma mulher;
O chamado do Cuco, de Robert Galbraith (pseudônimo de J.K. Rowling) - seja em qual gênero for, ela sempre arrasa! (Belle)

10 - Um livro de fantasia escrito por uma mulher;
Série Harry Potter - O melhor (na minha opinião) livro de fantasia de todos os tempos! (Belle)

11 - Um livro sobrenatural/sci-fi escrito por uma mulher;
Série Os Instrumentos Mortais, de Cassandra Clare - ainda tenho que ler essa série; só ouço elogios *-* (Belle)

12 - Um livro de terror escrito por uma mulher;
Frankenstein, de Mary Shelley. (Moony)

13 - Um livro com a heroína na capa;
Mulher Maravilha (HQ). (Moony)

14 - Um livro com uma heroína que não se conforma em ser o que esperam dela;
O despertar do príncipe, da Colleen Houck - li esse mês e simplesmente amei! A história (mitologia egípcia <3), os personagens e a protagonista (mesmo com todos os seus medos e incertezas, você sente que ela quer tomar as rédeas da própria vida). (Belle)

15 - Um livro escrito por duas (ou mais) mulheres;
Dezesseis luas, de Kami Garcia e Margareth Stohl - outro que ainda não li e tenho muita vontade de ler *-* Um dia ainda leio esse (e assisto ao filme também). (Belle)

16 - Um livro com a sua heroína preferida;
Série Harry Potter - Hermione Granger, a bruxa mais inteligente, corajosa e amiga de todas \0/ (Belle)

17 - Uma autora que te inspira;
J.K. Rowling, inspiração de vida <3 (Belle)

18 - Um livro com uma heroína na qual você se espelha;
Série Harry Potter - Hermione é outra inspiração de vida <3 (Belle)

19 - Um livro com uma heroína que as meninas deveriam conhecer desde novas;
Série Harry Potter - Hermione. (Moony)

20 - Um livro com uma protagonista que você não esperava ser tão forte quanto foi;
A Menina que roubava livros, de Markus Zusak. (Moony)

21 - Um livro com uma heroína que você começou odiando e terminou amando;
O resgate do tigre, de Colleen Houck - a Kelsey estava bem chatinha no começo, mas depois foi ficando mais forte, decidida e "apaixonante". (Belle)

22 - Um livro onde a heroína salva o herói;
Série Harry Potter - Hermione sempre salvando o Harry, fato! (Belle)

23 - Um livro com uma mulher transsexual; 
A garota dinamarquesa, de David Ebershoff - depois que assisti ao filme baseado nesse livro fiquei com muita vontade de ler o livro; espero fazer isso em breve... (Belle)

24 - Um livro com uma mulher bissexual/homossexual; 
Não conhecemos :( (Belle e Moony)

25 - Um livro com uma personagem feminina que seja uma figura de poder;
Série Jogos Vorazes - Katniss poderosa! (Belle)

26 - Um livro com uma mulher que escolheu a família;
Não conhecemos :( (Belle e Moony)

27 - Um livro com a melhor vilã;
Harry Potter e a Ordem da Fênix - Bellatrix. (Moony)

28 - Um livro com uma protagonista negra;
A cor púrpura, de Alice Walker - Ainda não li esse livro mas assisti ao filme (e gostei muito); pretendo ler futuramente. (Belle)

29 - Um livro com uma protagonista que superou abusos físicos e/ou emocionais;
Como Eu Era Antes de Você, de Jojo Moyes. (Moony)

30 - Um livro com uma protagonista que não queria salvar o mundo;
Série Jogos Vorazes  - Katniss. (Moony)

31 - Um livro com uma personagem feminina (ou a autora) que represente o que é ser mulher para você.
 
Série Harry Potter - As personagens Hermione Granger e Luna Lovegood me dão força para continuar sendo quem sou <3 (Belle)


{Mese Letterario - Março/2016}

Bom dia, queridos leitores e leitoras. Hoje trago mais um post do Mese Letterario, onde falarei um pouquinho sobre minhas leituras do mês. Vamos lá?

Mais uma vez tive um mês de leituras bastante produtivo *-* Embora não tenha lido todos os livros que eu esperava (faltou um), li mais livros do que o esperado, totalizando cinco livros; e todas foram leituras maravilhosas.

A primeira leitura do mês foi Harry Potter e o enigma do príncipe, da J.K. Rowling
Título original: Harry Potter and the order of the phoenix
Ano de lançamento: 2005 (Brasil)
Editora: Rocco
510 páginas
Continuando com o projeto #vamosrelerHP, comecei o mês com o melhor: Harry Potter ♥ Enfim cheguei ao sexto (e penúltimo) livro da série, que fora o primeiro que eu li (sentimento de pura nostalgia ao reler esse livro <3). Com um gostinho de despedida e tristeza pela perda de mais um personagem muito querido, esse livro é sensacional, encantador e trás todo o espírito que só HP possui. 
Em breve trarei a resenha dele aqui (depois que a do quinto livro, Harry Potter e a ordem da fênix, for postada ^^).

A segunda leitura foi O despertar do príncipe, da Colleen Houck
Título original: Reawakened
Ano de lançamento: 2015 (Brasil)
Editora: Arqueiro
375 páginas
Estou apaixonada por essa série. Sabe o livro que te conquista desde as primeiras palavras? Então, esse foi um deles (não sei porque vi tanta opinião negativa sobre ele :/). A protagonista é forte e decidida, e as múmias são simplesmente apaixonantes (<3). Pra completar, trata de mitologia egípcia, minha favorita (então sou meio suspeita pra falar dele ^^'). Anyway, leiam, pois vale a pena. E em breve terá resenha dele aqui pra vocês ;)


A terceira leitura foi O resgate do tigre, da Colleen Houck
Título original: Tiger's quest
Ano de lançamento: 2012 (Brasil)
Editora: Arqueiro
421 páginas
No mês passado eu finalmente li A maldição do tigre, primeiro volume da saga do tigre; e fiquei apaixonada pela história de Ren, Kelsey e cia. E logo que eu terminei essa leitura quis ler a continuação, mas como não tinha o livro, acabei deixando a leitura de lado. Até que visitei uma biblioteca do meu bairro (<3) com meu amigo, procurei pelos livros da série e lá estava ele, me esperando para ser lido. Peguei-o emprestado e logo devorei-o. Gostei muito desse livro (que me deixou mega ansiosa para ler o terceiro livro), especialmente do crescimento da protagonista, a Kelsey (apesar do começo cheio de mimimi dela ¬¬'); sem falar no destaque que o irmão de Ren, Kishan, ganhou nesse livro (sou #TeamKishan, fato!). Em breve terá resenha desse livro aqui, assim como do anterior ^-^

A quarta leitura foi O mágico de Oz, de L. Frank Baum
Título original: The wizard of Oz
Ano de lançamento: 2012 (Brasil)
Editora: Zahar
223 páginas
Primeiro clássico que li esse ano \0/ Faz tempo que eu tenho vontade de ler esse livro (desde 2011, quando li Alice no país das maravilhas e Alice através do espelho) mas não tinha oportunidade de ler (fosse pro falta de tempo, pela falta do próprio livro ou por preguiça). Aí nos últimos dias do mês, procurando um livro curto para ler no ônibus, lembrei que ele estava na minha meta de leituras desse ano e não pensei duas vezes: tenho que ler ele AGORA! E olha: não me arrependo. Leitura maravilhosa, encantadora e mais do que recomendada. Agora quero mais do que nunca rever o filme (o primeiro *-*). Só senti falta de uma coisa nesse livro: os sapatinhos vermelhos da Dorothy (andei pesquisando e descobri que nos filmes e peças usaram vermelho para destacar sobre os tijolos amarelos). Enfim, leiam!

E a quinta (e última) leitura foi Depois do funeral, da Agatha Christie (queen <3)
Título original: After the funeral
Ano de lançamento: 1982 (Brasil)
Editora: Círculo do Livro S. A. (cortesia da Editora Nova Fronteira)
226 páginas
E para encerrar minhas leituras do mês, mais um livro da queen Agatha Christie <3 Estava na casa de minha avó depois de ter terminado de ler O mágico de Oz e sem nenhum livro pra ler quando vi esse da rainha Agatha na estante dela (minha avó foi quem me indicou os livros dela *-*), então não pensei duas vezes e peguei-o logo para ler. Em alguns dias já tinha terminado de ler e indicado pra minha mãe ler (que é fã do gênero policial), e caramba: que livro perfeito! A Agatha é o tipo de escritora que te leva a pensar uma coisa e no final é algo totalmente diferente, e você fica tipo: minha nossa, como não pensei nisso antes?! O.O
Anyway, essa escritora é fantástica e um dia lerei todos os livros dela *----*

Gostei muito das minhas leituras do mês e mais uma vez não tive uma leitura ruim (ufa!). A melhor foi Harry Potter e o enigma do príncipe (), isso não tem como negar, mas por sorte li livros excelentes que recomendo a leitura a todos.

E vocês, o que leram esse mês? E quais pretendem ler a seguir? Já leram ou ouviram falar de alguns dos livros citados?

Deixem nos comentários ;)

terça-feira, 22 de março de 2016

Resenha {Livro} - Caixa de pássaros (Josh Malerman)

Olá, Leitores e Leitoras.
Já ouviram falar do livro Caixa de Pássaros? Apesar de ter uma classificação de terror, em minha opinião, está mais para suspense. Terror, a meu ver, tem que ser algo que realmente dê muito medo, a ponto da pessoa não conseguir dormir ou ser assombrada por pesadelos a noite toda; e não foi esta minha reação ao final do livro (graças à Deus!).
Em seu romance de estreia, Josh Malerman apresenta a batalha de Malorie pela sobrevivência. Não só dela, mas de toda a humanidade. Isso mesmo, leitores, a obra se passa num mundo pós-apocalíptico, onde as pessoas tem que andar com os olhos fechados para não morrerem.


Malorie é uma jovem que se muda do norte para o sul dos Estados Unidos junto com a irmã. Mas noticias sobre mortes estranhas e horrendas começam a ser noticiadas na mídia. A princípio, a jovem não acredita muito nessas mortes, afinal, não podemos acreditar em tudo que a TV e a Internet (principalmente esta) divulgam. Até que Malorie encontra a irmã morta no banheiro de casa. É, então, que a personagem se vê grávida, sozinha, num mundo que beira ao caos. Assim, ela decide procurar ajuda numa casa cujos moradores recebem quem quiser ali se refugiar: ela dirige até a casa de olhos vendados e essa parte realmente causa muito nervoso no leitor; o autor descreve tão bem a situação da personagem que parece que estamos dentro do carro, de olhos vendados e só utilizando a memória fotográfica e o bom senso para chegar à seu destino salva. E você deve estar se perguntando o motivo de não poder abrir os olhos: o único ponto lógico dessas mortes é que ao ver algo ou alguém, as pessoas tem comportamento agressivo e suicida. E, como já disse, são as partes “no escuro” que torna a história tensa como, por exemplo, quando Malorie decide sair do seu refúgio com os filhos e fugir para outro refúgio através do rio.
A pergunta que me fiz durante toda a leitura foi se seria capaz de sobreviver num mundo usando somente a audição, o que também me leva a pensar o quão difícil deve ser para um deficiente visual andar pelas ruas sem nenhuma infraestrutura que os auxilie. Mais do pensar na história em si e no motivo de tudo ter acontecido, refleti nessa dificuldade que há na nossa sociedade. Se essa foi a intenção ou não do autor, não sei informar, só sei que alcancei essa ideia. 
Ah, esqueci de mencionar o quanto a personagem principal é chatinha. Mas ainda bem que há outros personagens para nos prender na trama. 

"Não abra os olhos.

Abraços e até breve.

272 páginas | 1° edição | 2015 | Intrínseca





quinta-feira, 17 de março de 2016

Resenha {Livro} - Half Bad e Half Lies (Sally Green)

Bruxos e félixes (não-bruxos) vivem em perfeita harmonia. Porém bruxos e bruxos não convivem tão bem assim. Com essa premissa, entramos na história de Half Bad, cujo mundo dos bruxos é divido em dois grupos: o dos bruxos das Sombras e o dos bruxos da Luz. Ambos os grupos não se relacionam, ou pelo menos não deveriam se relacionar, e de uma relação entre um bruxo das Sombras e uma bruxa da Luz nasce Nathan, nosso protagonista. Como filho de um bruxo das Sombras nascido na comunidade de bruxos da Luz, Nathan sofre desde seu nascimento com o preconceito por ser "meio-sombras-meio-luz", sendo assim considerado um perigo para aqueles que o cercam.
Até que complete dezessete anos, idade em que os bruxos (até então, brux - bruxos jovens) tornam-se bruxos de fato, Nathan tem que viver confinado em sua casa, sem ter contato com outros bruxos que não seus familiares, para que só então receba sua "designação": se é um bruxo das Sombras ou um bruxo da Luz. E como vive na comunidade da Luz, tudo o que conhece é que os bruxos da Luz são os "mocinhos", o lado do bem, e os bruxos das Sombras são os "bandidos", o lado do mal.

"[...] É o modo como pensa e age que mostra quem você é. Você não é mau, Nathan. Nada em você é mau. Vai ter um dom  poderoso, todos podemos ver isso, mas é como vai usá-lo que vai mostrar se você é mau ou bom."
(Sally Green, p. 93)

Porém, com o passar do tempo, Nathan e os demais descobrirão que não é bem assim que divide-se o bem e o mal, da mesma forma que nós, leitores, iremos descobrir como funciona essa sociedade bruxa ao longo da narrativa.

Half Bad foi uma surpresa muito boa. Peguei-o para ler sem muitas expectativas, fiquei com receio de que não fosse gostar pelas opiniões que vi de outras pessoas que leram e mesmo pelo modo como a narrativa é desenvolvida, que foge completamente do que eu estava acostumada dos livros do gênero. Mas, como a boa fantasia e aventura que é, o livro não deixou a desejar em momento algum e logo me vi encantada pela história, querendo descobrir cada vez mais sobre a trama. Os personagens são um ponto forte nesse livro: verdadeiros divisores de águas! Alguns eu amei muito; outros, odiei com todas as minhas forças! E o modo como o livro é narrado, que no começo "assusta" um pouco, logo me deixou familiarizada com a leitura.
Quando terminei de ler, tudo que eu queria era ler a continuação, Half Wild, lançada no ano passado pela editora Intrínseca; porém, como não tenho esse livro ainda (chora :S), tive que me contentar em ler o spin-off da trilogia, Half Lies, disponível em ebook, que vocês conferem a resenha a seguir. 

301 páginas | 1° edição | 2014 | Intrínseca





Diferentemente de Half Bad, Half Lies não foca no personagem Nathan (na verdade, ele nem é mencionado). O conto, spin-off da trilogia, mostra a história de Michele e seu irmão Gabriel (este, personagem importante em Half Bad), ambos bruxos das Sombras, que após a morte da mãe e da avó, vão viver com o pai em Orlando.
No livro, conhecemos a rotina dos irmãos através de um diário mantido por Michele, que aguarda o dia que deixará de ser brux para se tornar uma verdadeira bruxa e descobrir seu dom. E através desse diário, conhecemos, além de um pouco da vida dos irmãos, mais sobre o mundo bruxo, sobre a divisão entre bruxos das Sombras e bruxos da Luz.

"A comunidade de bruxos das Sombras nesta parte da Flórida aparentemente tem poucos indivíduos, embora o território seja vasto, abrangendo cidadezinhas e grades áreas rurais. Os bruxos da Luz ficam nas áreas urbanas - a principal delas sendo Tampa -, e a comunidade deles é muito maior. Skylar disse que os bruxos das Sombras se mantém nas próprias "terras históricas", e os bruxos da Luz, nas deles."
(Sally Green, p. 25)

Sendo narrado como diário da Michele, vemos o que a personagem está passando após a trágica perda da mãe, a ausência do pai e do irmão - que agora vive em situações perigosas - e a ansiedade em se tornar uma bruxa, bem como seus "dramas adolescentes", envolvendo um romance praticamente impossível e pessoas que ela não sabe se são amigos ou não.

Half Lies foi outra surpresa boa; até ler a sinopse, eu pensei que se tratava do terceiro livro da trilogia; e qual não foi minha surpresa quando descobri que era um conto no mesmo universo só que com personagens diferentes do protagonista?! E ainda com um personagem que eu gostei muito em Half Bad (Gabriel <3), então foi fantástico descobrir que era sobre ele e a família.

95 páginas | 1° edição | 2015 | Intrínseca




----------------------------------------

Esses sem dúvida foram livros incríveis que eu tive a oportunidade de ler esse ano, e não vejo a hora de ler o segundo livro da trilogia, Half Wild. Leiam ambos também e se encantem por essa história!



segunda-feira, 14 de março de 2016

Resenha {Livro} - O menino do pijama listrado (John Boyne)


Olá, leitores.
Para começar, gostaria de agradecer a oportunidade de estar escrevendo para o Attraverso le Pagine, o blog de uma grande amiga.
Pretendia iniciar as resenhas com um livro da saga Star Wars, mas por motivos técnicos, não foi possível. Por enquanto! Então, resolvi começar por um excelente livro que li recentemente: O Menino do Pijama Listrado, do John Boyne.
Boyne é um escritor irlandês que ganhou vários prêmios importantes por conta de seus livros que já foram traduzidos para mais de 30 idiomas. É fácil entender o motivo de tanto sucesso. A sua forma de escrita é tranquila, nem um pouco cansativa e que faz o leitor se sentir parte da história. O Menino do Pijama Listrado mostra isso. 

O livro, lançado em 2007, conta a história de Bruno, um “jovem rapaz” de 9 anos que morava em Berlim, numa casa enorme e divertida, à seus olhos, tinha três grandes e melhores amigos, até que tem a vida completamente mudada, após a promoção de seu pai, um militar nazista: o pai se torna Comandante e toda a família segue para um lugar chamado Haja-Vista, novo local de trabalho do pai e onde passam a morar. Nem é preciso dizer que Bruno odeia a nova casa e a mudança no geral. E realmente, Haja-Vista é um lugar feio, isolado, sem nada para explorar. Até que um dia, o menino decide ir além da casa dele, em direção a “fazenda” que tinha avistado do seu quarto. É, então, que conhece um garoto da sua idade, mas que vive do outro lado da cerca. 
Dois fatos que amei no livro: a amizade entre Bruno e Shmuel e a inocência das crianças, principalmente do Bruno. Durante toda a história, notamos que este não compreende o porquê de tanta mudança (chega a pensar que o pai fez algo de errado e o Fúria o castigou mandando para aquele lugar horrível), o porque de todos na “fazenda” usarem um  pijama listrado o dia todo nem acha justo que Shmuel tenha vários amigos e ele esteja sozinho; não faz ideia de que o mundo está em guerra e que os judeus e outras minorias estão sendo assassinadas, inclusive pelo seu pai. Isso fica claro nas palavras usadas pelo autor para designar alguns lugares e pessoas que são do conhecimento do leitor, mas não do personagem: palavras difíceis de serem pronunciadas para qualquer criança (até para adulto). Confesso que só entendi o significado de Haja-Vista depois de ler, pesquisando para esta resenha. Então, se você descobriu “logo de cara” do que se trata, deixa seu comentário aqui (sem spoiler, ok?!) e deixa também sua opinião sobre o livro. Para quem não leu, indico a leitura e também o filme (de preferência depois que ler). 
Abraços e até a próxima. 


"Você é o meu melhor amigo. Meu melhor amigo para a vida toda."
(John Boyne)

192 páginas | 1° edição | 2007 | Companhia das Letras





quinta-feira, 3 de março de 2016

{Te lo dirò} Evento: Clube do Livro Itaguaí

Bom dia, queridos leitores e leitoras do meu Brasil! Como vão?
No dia 13 de fevereiro ocorreu na Casa de Cultura de Itaguaí, município do Rio, o primeiro encontro do Clube do Livro de Itaguaí, e eu, como amante de clubes do livro que sou, não pude deixar de ir *-*
O tema discutido nesse primeiro encontro foi Agatha Christie e o gênero investigativo, o que incluiu autores como Arthur Conan Doyler (Sherlock <3), Harlan Coben, Raphael Montes (nacional marcando presença \0/), entre outros do gênero, além da nossa querida "dama do crime".
Num bate papo bastante animado sobre livros, os moderados do evento apresentaram seus autores e livros favoritos do gênero policial/investigativo, e todos se divertiram muito discutindo sobre os livros que já leram. Foi uma oportunidade muito boa de conhecer novos autores e obras do gênero (que já estão anotados na minha lista de futuras leituras *-*).
Amei participar desse novo clube do livro e irei sempre que possível aos próximos.
E nesse sábado agora acontecerá o segundo encontro do clube \0/ O tema? Série A maldição do tigre, da Colleen Houck (já comentei sobre esse livro no post das leituras do mês de fevereiro e repito aqui: adorei o primeiro livro da série, A maldição do tigre).
Para mais informações sobre o clube, clique aqui e acesse o blog oficial do clube. E clique aqui para confirmar presença no evento ;) Não perca