segunda-feira, 30 de maio de 2016

{Mese Letterario - Maio/2016}

Boa tarde, meus queridos leitores e leitoras. Como estão? Espero que bem ^-^
Chegou o dia de mais um Mese Letterario, nosso post mensal onde conto um pouquinho das minhas experiências literárias ao longo do mês. Vamos lá?

A primeira leitura do mês foi O orfanato da Srta. Peregrine para crianças peculiares, de Ransom Riggs
Título original: Miss Peregrine's home for peculiar children
Ano de lançamento: 2012 (Brasil)
Editora: Leya
333 páginas
Li esse livro por indicação da Moony, uma de nossas resenhistas, para o projeto de leitura do blog #LeggoIndicare (e a resenha dele vocês encontram clicando aqui).
Como já disse na resenha, eu até tinha curiosidade de conhecer esse livro, mas nunca tinha lido por achar que se tratava de uma história de terror (sou medrosa mesmo :P); então minha surpresa foi gigantesca quando descobri que era uma fantasia maravilhosa, e as fotos que o ilustram dão todo um charme especial à obra *-* Indico a todos que gostam de uma boa fantasia; e mal posso esperar para ler a continuação dele, Cidade dos etéreos e assistir ao filme também ^^

A segunda leitura do mês foi Se eu ficar, de Gayle Forman
Título original: If I stay
Ano de lançamento: 2014 (Brasil)
Editora: Novo Conceito
191 páginas
Mais uma leitura da TBR desse ano realizada com sucesso. O livro sorteado pra este foi Se eu ficar, que eu estava louca para ler desde que assisti ao filme homônimo ano passado mas ainda não tinha lido por preguiça e receio de chorar muito (pois é, manteiga derretida aqui 0/). Apesar de já conhecer a história pelo filme (que, a propósito, ficou bem fiel), me encantei e me emocionei com a história de Mia novamente; e agora não vejo a hora de ler a continuação, Para onde ela foi (embora ache que a história acabou bem nesse livro, mas vamos ver no que vai dar).
Ps.: A resenha desse livro vocês encontram clicando aqui.

A terceira leitura do mês foi Auto da Compadecida, de Ariano Suassuna
Ano de lançamento: 2005 (35ª edição)
Editora: Agir
178 páginas
Essa foi uma leitura totalmente inesperada e que se mostrou bastante proveitosa! Encontrei-o por acaso enquanto procurava por livros do teatro brasileiro na biblioteca do meu bairro para uma apresentação que deveria fazer do trabalho de conclusão de uma disciplinas da minha pós. Qual não foi minha surpresa quando, numa tarde em casa, devorei-o (ele é bem curtinho, e a estrutura do texto ajuda) e me encantei novamente pela histórias das peripécias de João Grilo e Chicó - e foi impossível não lembrar do filme de 2000, que embora tenha algumas alterações, não perdeu em nada a essência da história. Leitura mais do que indicada (especialmente para aqueles que já assistiram ao filme).

A quarta leitura do mês foi O destino do tigre, de Colleen Houck
Título original: Tiger's destiny
Ano de lançamento: 2013 (Brasil)
Editora: Arqueiro
393 páginas
Eu sei que ainda falta ler o conto e o quinto livro (que está para ser lançado sabe-se lá quando!), mas enfim concluí a saga do tigre <3 Em breve vocês trarei aqui a resenha deste e dos livros anteriores da série (a resenha do primeiro livro pode ser lida clicando aqui). Gostei muito da forma como tudo terminou, especialmente do amadurecimento absurdo que a protagonista, Kelsey, teve ao longo da trama - não só nesse livro, mas também nos outros. Não entrarei em muitos detalhes mas já adianto aos fãs da série ou a quem pretende ler para se preparar para as muitas surpresas que estão por vir.

E por fim, a quinta leitura do mês foi Como eu era antes de você, de Jojo Moyes
Título original: Me before you
Ano de lançamento: 2013 (Brasil)
Editora: Intrínseca
320 páginas
Eu não esperava ler esse livro, pelo menos não agora. Eu pretendia ler ele no mês que vem, um pouco antes da estreia do filme com a Emilia Clarke e o Sam Claflin (e agora estou mega ansiosa pela estreia do filme *-*); mas aí terminei de ler O destino do tigre e o livro (em pdf) estava lá, me olhando, quase dizendo: leia-me, LEIA-ME O.O, e eu não resisti: comecei a ler. Não fui com muitas expectativas, já que conhecia inclusive o final da história; mas me surpreendi com a forma como a história é contada, como os fatos são apresentados, como as amizades, os amores e as coisas simples na vida de Lou, Will e os demais vão surgindo, e não consegui mais largar o livro. Aí, aos "45 segundos do segundo tempo", terminei essa leitura maravilhosa e com aquele "gostinho de quero mais", mega ansiosa pelo filme e pela continuação, Depois de você.
A resenha desse livro já se encontra no blog (escrita por uma de nossas resenhistas, a Moony, e vocês a encontram clicando aqui).

Este foi um bom mês literário pra mim, superando minhas expectativas em todos os sentidos: tanto com relação ao número de livros lidos, que eu pensei que seria bem menor, quanto à qualidade das leituras, que foram melhores do que o esperado. Foi realmente difícil escolher a melhor leitura, mas no final acabei ficando com o Como eu era antes de você , que ultrapassou minhas expectativas e se mostrou de fato uma leitura mais do que proveitosa - e eu recomendo desde já a todos vocês.

--------------------------------------------------------
E por hoje é só, pessoal. 
Espero que vocês tenham tidos ótimas leituras neste mês e quero saber de todas elas; não esqueçam de deixar nos comentários *-* E que venham outras tantas boas leituras em junho.

quinta-feira, 26 de maio de 2016

Resenha {Livro} - Harry Potter e o Enigma do Príncipe (J.K. Rowling)

Continuando com o projeto #vamosrelerHP, março foi o mês de reler o sexto livro da série Harry Potter; e hoje (finalmente) trago a resenha dele aqui para vocês. Vamos lá?
Ps.: As resenhas dos livros anteriores podem ser encontradas aquiaquiaquiaqui e aqui.
Lord Voldemort, Aquele-que-não-deve-ser-nomeado, está de volta!
Depois da confirmação do Ministério da Magia, a comunidade bruxa está enfim ciente do retorno do bruxo das trevas - e está, portanto, bastante temerosa.

"- O problema é que o outro lado também sabe fazer bruxaria, Primeiro-Ministro."
(J.K. Rowling, p. 20)

Como se não bastasse, o mundo trouxa também está ameaçado, havendo inúmeras mortes associadas ao terrível bruxo (apesar dos trouxas, quem não é bruxo, não terem consciência dessa relação), o que deixou o Ministério da Magia na obrigação de informar as autoridades trouxas sobre os recentes acontecimentos.
Enquanto isso, Harry Potter, que vira o retorno de Voldemort dois anos antes, no final do Torneio Tribruxo, e fora taxado de mentiroso e até mesmo louco no ano anterior por grande parte da comunidade mágica, é visto agora como um herói, uma espécie de “eleito” escolhido para livrar os bruxos de todo o mal causado pelo Lorde das Trevas. Só que Harry não faz ideia de irá derrota-lo. Felizmente, o diretor da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts, Alvo Dumbledore, sempre bem preparado, já possui um plano para ajudar Harry, mas ele precisará ainda de um apoio fundamental: Slughorn, antigo professor de Poções de Hogwarts.
Retornando a Hogwarts para seu sexto (e penúltimo) ano, Harry, Rony e Hermione terão aulas de Poções com o “novo” professor, enquanto o não tão querido professor Snape assumirá o cargo que sempre sonhou na escola: professor de Defesa Contra as Artes das Trevas.
Tendo já passado pelos NOM’s no ano anterior, o novo ano escolar dos amigos se mostrará bem mais tranquilo, especialmente para Harry nas aulas de Poções, já que o professor Slughorn entusiasmara-se desde o primeiro momento que o vira (antes de irem para a escola) e logo ficará exultando com o sucesso absoluto obtido pelo garoto no preparo de uma poção complicada em sua primeira aula - e tudo graças às dicas encontradas num antigo livro de estudo de Poções que pertencerá a um suposto “Príncipe Mestiço”.
“Este livro pertence ao Príncipe Mestiço.”
(J.K. Rowling, p. 154)

Maiores surpresas e fortes emoções aguardam o leitor no sexto volume da série Harry Potter, que trará outra morte lamentável (e insuperável) aos fãs da saga.

----------------------------------------------------
Leia, encante-se e prepare-se para o sétimo (e último) livro dessa série incrível!

510 páginas | 1° edição | 2005 | Rocco







segunda-feira, 23 de maio de 2016

Dia da toalha - Aleph e Arqueiro

No último sábado, dia 21 de maio, as editoras Aleph e Arqueiro (e Sextante) se uniram para comemorar o Dia da Toalha, data comemorada oficialmente no dia 25 de maio em homenagem ao escritor de ficção científica Douglas Adams - autor da aclamada "trilogia de cinco livros" O guia do mochileiro das galáxias.
Com o lançamento este ano da edição definitiva do Guia do Mochileiro pela editora Arqueiro - numa edição lindíssima em capa dura reunindo os cinco livros da série - e o lançamento da biografia de Adams pela editora Aleph - com fotos, relatos exclusivos, entre outras informações sobre o escritor -, as editora resolveram fazer uma série de eventos pelo Brasil para apresentar esses e outros livros do universo nerd, que além dos já conhecidos (e amados) livros de ficção científica conta ainda com os livros dos segmentos de fantasia e aventura.
A edição definitiva do Guia e outros livros apresentados no evento

Num bate-papo bastante divertido e informativo, pudemos conhecer um pouco sobre os lançamentos dessas editoras incríveis (o que nos deixou com muita curiosidade de ler essas obras *-*).
Ana Cristina, a mediadora do evento
 
Os representantes das editoras Arqueiro e Sextante

No final do evento, todos os livros apresentados foram sorteados entre os participantes; infelizmente, não ganhamos livros :( mas.... ganhamos as lindas ecobags Não entre em pânico!, além dos marcadores da mediadora (e também escritora) do evento, Ana Cristina, que em breve serão sorteados aqui no blog (aguardem novidades ^-^)
Marcadores lindos do livro Anacrônicas <3
---------------------------------------------
Lembrando que o dia 25 de maio está chegando, então não esqueçam suas toalhas e não entrem em pânico!
Até a próxima, pessoal!

sábado, 21 de maio de 2016

Resenha {Livro} - O orfanato da srta. Peregrine para crianças peculiares (Ransom Riggs)

Desde criança, Jacob sempre ouvira as histórias incríveis contadas por seu avô paterno, Abraham (Abe), sobre o orfanato onde este vivera antes de ir para a guerra: um lugar fantástico habitado por crianças com dons especiais; e ainda sobre os temidos monstros que ele caçava quando jovem. Com o passar dos anos, as histórias foram se tornando bastante fantasiosas aos ouvidos do próprio Jacob e de sua família, que acreditava ser ilusões de uma mente Senil.

“[...] Agarramo-nos a nossos contos de fadas até que o preço por acreditar neles se torne alto demais [...]” 
(Ransom Riggs, p. 12)

Até o momento em que Abraham é atacado e reconta a Jacob as histórias que contara quando este era criança, alegando serem todas elas reais. Para piorar a situação, Jacob de fato vê (ou pelo menos pensa ter visto) um dos tais monstros que seu avô tanto falara, no que sua família começa a duvidar de sua sanidade mental.
A fim de descobrir o que o avô realmente queria dizer com suas histórias, e tentar esquecer os terríveis pesadelos que passara a ter desde então, Jacob resolve visitar o local onde funcionava o orfanato onde vivera seu avô. Assim, Jacob e seu pai, filho de Abraham, partem numa viagem rumo a Cairnholm, uma ilha do País de Gales afastada praticamente afastada da civilização, onde seus poucos habitantes desconhecem a existência de um orfanato no local, a não ser ruínas do que fora de fato um orfanato até ser atingido por uma bomba durante a guerra. Jacob resolve então investigar o local e finalmente conhece as tais crianças com dons especiais de que seu avô tanto falara: os peculiares.

“[...] Era exatamente o paraíso que meu avô descrevia em suas histórias. Essa era a ilha encantada; essas eram as crianças mágicas. Se eu estava sonhando, não queria mais acordar. Pelo menos, não por um bom tempo.”
(Ransom Riggs, pp. 135-136)

Narrado sob o ponto de vista de Jacob, a história criada por Ransom Riggs possui uma “mitologia” própria que mescla fantasia, aventura e viagens no tempo (não vou dizer exatamente o motivo da viagem no tempo senão vai acabar sendo um tremendo spoiler).
Com um ritmo bem leve, a história foi me deixando cada vez mais curiosa e ávida por resposta, especialmente sobre quem eram as pessoas de que Abe tanto falara, o que mais tarde foi devidamente respondido, assim como outros mistérios que permeiam a trama, que vamos descobrindo na medida em que Jacob também os descobre.
Gostei muita da leitura e me surpreendi por não se tratar de um livro de terror, pois até ler eu pensava que era. Ele tem sim suas doses de suspense, mas está mais voltado para o gênero fantasia, o que eu amei, já que sou apaixonada por fantasias. E as fotos antigas no decorrer da narrativa deram um toque especial ao livro, complementando de certa forma a história.
As fotos antigas (e bizarras) dão um certo charme à história *-*
Esse livro faz parte de uma série, cuja continuação, Cidade dos Etéreos, acabou de ser lançado pela editora Intrínseca numa edição linda em capa dura. Mal posso esperar para ler ele (o modo como acaba esse livro me deixou doida pela continuação *-*)

Recomendo essa leitura a todos os amantes de uma boa fantasia: encantem-se pelo universo dos peculiares.

“Eu costumava sonhar em fugir da minha vida comum, mas minha vida nunca havia sido comum. Simplesmente não conseguira notar como ela era extraordinária [...]”
(Ransom Riggs, p. 331)

Ps.: Essa leitura faz parte do projeto #LeggoIndicare (Leio e Indico), um novo projeto literário criado pelo blog. Para mais informações, acesse o post sobre o projeto clicando aqui.

332 páginas | 1° edição | 2012 | Leya 


quinta-feira, 19 de maio de 2016

Resenha {Livro} - O despertar do príncipe (Colleen Houck)

Após ler a trilogia As crônicas dos Kane, do Rick Riordan, fiquei encantada com a mitologia egípcia (até pensei em fazer faculdade de História na época para estudar mais a fundo). Então quando descobri que uma nova série abordando esses mesmos mitos seria em breve lançada, não pensei duas vezes: precisava ler esse livro. Comprei meu livro na Bienal do Livro Rio do ano passado, li esse ano, e hoje trago a resenha dele para vocês. Vamos lá?!
Liliana (Lily) Young, uma jovem novaiorquina de dezessete anos, filha de pais ricos e bem-sucedidos, vive sob a opressão destes para viver de aparências: conviver somente com pessoas aceitas por eles, frequentar os melhores eventos sociais e ingressar numa faculdade que eles aprovem - independente do desejo da própria Liliana. 
Um dia, ao visitar a ala egípcia do Museu Metropolitano de Arte, Lily pensava numa forma de falar com os pais sobre sua escolha acadêmica quando encontra lá um misterioso homem vestido num saiote.

"[...] Estava passando pelo espelho de cobre quando a mão surgiu na escuridão e agarrou meu braço. Meu grito sufocado ecoou, as notas agudas reverberando nas relíquias. Os deuses dourados nas estátuas de pedra, porém, mantinham os olhos gélidos focados à frente, tão imóveis e mortos quanto tudo à sua volta."
(Colleen Houck, p. 22)

Confusa com aquela situação, e esquecendo-se por um momento de seu problema com os pais opressores, Lily descobre mais tarde que o tal homem é ninguém mais que Amon, uma múmia e príncipe egípcio que fora amaldiçoado a despertar a cada mil anos - junto com seus irmãos, também príncipes do Egito - a fim de impedir que Seth, o poderoso deus do caos, retorne e cause a devastação da Terra. Esse despertar de Amon deveria ser junto com o despertar de seus irmãos, e ele deveria voltar em plena força; só que dessa vez não fora isso que tinha acontecido, e Amon não só havia despertado sozinho como seus vasos canópicos, onde ficam guardados seus órgãos no processo de mumificação e são a fonte de suas habilidades, estavam no Egito, a muitos quilômetros de distância, o que o acabara por deixá-lo vulnerável.
Sem sua força plena, Amon fora então obrigado a receber ajuda de outra pessoa, sendo esta pessoa Lily, que passa a ser sua fonte de energia até que ele retome a sua; e assim os dois partem rumo ao Egito em busca dos vasos canópicos de Amon e de seus irmãos.

"Aquela pequena aventura com Amon estava tão fora da minha zona de conforto que eu não sabia nem mais quem eu era. Minha carapaça externa tinha sido arrancada, e o que havia sobrado era uma garota exposta e assustada [...]"
(Colleen Houck, p. 149)

Nessa viagem inusitada ao desconhecido, não somente Amon encontrará o que procura, mas também Lily, que se descobrirá a cada aventura vivida ao lado do príncipe egípcio.

"[...] Eu gostava de ver o mundo pelos olhos dela, mas ao mesmo tempo isso me assustava. Lily sobrevivia a armadilhas antigas. Lily  simplesmente dava de ombros quando coisas impossíveis aconteciam [...]"
(Colleen Houck, p. 162)

O crescimento da protagonista ao longo da narrativa é palpável! Aos poucos a jovem insegura que vivia sob o domínio dos pais poderosos sem ter o direito de escolher os rumos de sua vida vai se tornando mais madura, mais confiante, mais experiente, embora em nenhum momento ela tenha deixado de ser quem ela realmente era (ou melhor, quem ela sempre fora); apenas mostrou o que estava escondido por medo/insegurança dos pais.
O livro é sensacional em diversos aspectos. No que diz respeito aos personagens, Lily parece um pouco com a protagonista da outra série da mesma autora (A maldição do tigre), embora no final se mostre bem mais decidida e segura com relação a si mesma do que a Kelsey (da saga do tigre). Outro personagem que devo destacar é Amon, sempre preocupado com o destino do mundo ao mesmo tempo em que se preocupa com Lily, que tanto o ajudou em sua jornada. O mesmo vale para os irmãos de Amon (múmias maravilhosas ); a relação entre os três é linda, verdadeiros irmãos inseparáveis!

Preparem-se para muitas aventuras e surpresas (apesar de algo que achei um pouco previsível no final) e, é claro, um pouco romance no primeiro livro dessa nova série da Colleen, intitulada Deuses do Egito, que segundo fontes na Internet, é prevista para ser uma trilogia com lançamento até 2017. 
O segundo livro da série, O coração da Esfinge, tem lançamento previsto para esse ano e a capa foi divulgada pela própria autora em sua vinda a Bienal do Livro Rio do ano passado, que vocês podem ver abaixo:
A capa do próximo livro. Só não gostei muito da cor :/

Agora é aguardar ansiosamente a continuação para continuar lendo a saga dos Deuses do Egito.

375 páginas | 1° edição | 2015 | Arqueiro




terça-feira, 17 de maio de 2016

Resenha {Livro} - Garota Exemplar (Gillian Flynn)

Amy e Nick Dune eram o que todos podiam chamar de “casal perfeito”. Casados há quase cinco anos, os dois levavam uma vida rotineira e tranquila. Os dois haviam se conhecido numa festa de amigos e logo se encantaram um pelo outro, o que levou a um romance duradouro e posteriormente ao casamento. Após ambos perderem seus empregos na cidade de Nova York, e Nick descobrir que sua mãe estava muito doente, eles decidem voltar à cidade onde Nick crescera para que ele pudesse, junto com sua irmã Go, ajudar sua mãe.
Tudo parecia bem até que, no dia do 5° aniversário de casamento dos dois, Amy some repentinamente, deixando Nick preocupado com o que possa ter acontecido com ela. Porém, mesmo parecendo preocupado, Nick assumiu uma atitude um tanto calma sobre a situação, o que o leva a ser o principal suspeito de sequestro de Amy.

“Flashes disparavam. Eu me virei e vi holofotes. Era surreal. É o que as pessoas sempre dizem para descrever momentos que são apenas incomuns. Pensei: Vocês não têm ideia do que é surreal, cacete [...]”
(Gillian Flynn, p.76)

Para “completar” a situação em que Nick se encontra agora, os país de Amy são ricos e muito famosos graças à sua própria filha, protagonista da série literária best-seller dos dois: Amy Exemplar, que criou uma imagem de pessoa perfeita para Amy ao longo dos anos. Mas será que Amy é mesmo tão perfeita quanto muitos imaginam?
Narrado sob o ponto de vista dos protagonistas, alternando os capítulos entre Amy e Nick, Garota Exemplar foi um daqueles livros que me deixou realmente intrigada com quem estava contando a verdade. Nunca confie no narrador, especialmente se forem dois! Eu sentia raiva dele em alguns momentos, e em outros sentia raiva dela. E pena e/ou compaixão por ambos. 

A história, no geral, é muito bem desenvolvida, rica em detalhes e a partir da metade do livro passa a ter um ritmo que não te deixa largar o livro até as páginas terminarem - e digo a partir da metade porque o começo é um pouco lento, mas nada que atrapalhe muito a leitura.

Confesso que quando ouvi falar do livro pela primeira vez (Valeu, Carla!) não achei a história muito interessante. Porém, ao assistir ao filme no ano passado, me empolguei bastante em ler; e agradeço mais uma vez à minha amiga por ter me emprestado esse livro fantástico!
Leiam! Vocês não irão se arrepender! E assistiam ao filme também, pois está perfeito!

443 páginas | 1° edição | 2013 | Intrínseca





sábado, 14 de maio de 2016

{Especial Marvel - Parte 2} Do mundo dos quadrinhos ao mundo dos livros

Continuando com a série de posts Especial Marvel (os novos filmes me deram um ânimo e tanto pra isso), hoje falarei um pouquinho sobre o universo literário da Marvel.
Obs.: Caso você ainda não tenha visto, não deixe de conferir o primeiro post desse especial, Séries que você precisa assistir, clicando aqui.

Desde de 2014, a editora Novo Século tem lançado livros inspirados nos quadrinhos do universo Marvel. Sejam eles adaptações das HQs (como é o caso do livro Guerra Civil, com resenha a seguir), ou histórias novas inspiradas nos personagens já conhecidos desse universo, os livros da série Marvel da Novo Século estão fazendo bastante sucesso entre os leitores, especialmente quando são lançados próximo de algum filme da Marvel.
Falarei agora um pouquinho sobre cada livro, e para maiores informações, clique no título do livro para ser redirecionado(a) à sua respectiva página no skoob.
O primeiro dos livros da franquia lançado aqui no Brasil pela editora foi O toque da vampira, de Christine Woodward. Não posso opinar sobre esse livro porque ainda não o li (achando que nem se tratava de um dos livros da série Marvel até ver a logo no canto da capa :S). De qualquer forma, espero ler ele algum dia para tirar minhas conclusões.
O segundo lançado foi Guerra Civil, de Stuart Moore, livro que eu sou apaixonada, li duas vezes e a resenha dele você confere no final desse post.
O terceiro livro lançado foi Homem-Aranha: entre trovões, de Christopher L. Bennett. Este eu também li e gostei bastante. Ele trás uma aventura do amigão da vizinhança, o querido Cabeça de Teia, Homem-Aranha. Fico devendo uma resenha dele para vocês ^^'
O quarto livro lançado foi X-men: Espelho negro, de Marjorie M. Liu. Também li este (e fico devendo mais um resenha dele, sorry :S), mas já adianto que não gostei tanto quanto dos outros dois que li. A história é até boa, mas achei que enrolou um pouco.
O quinto livro lançado foi Homem de Ferro: Vírus, de Alex Irvine. Este também já li e amei (tudo bem que sou meio suspeita pra falar, já que o Homem de Ferro é um dos meus personagens favoritos da Marvel XD). Mas fora o próprio Tony Stark, a história é muito boa, com muita ação e bem instigante; e ainda envolve a Hidra, então não teve como não amar. A resenha dele também fico devendo pra vocês.
O sexto livro lançado foi Vingadores: Todos querem dominar o mundo, de Dan Abbnet. Ainda não li esse então não posso falar muito dele, mas já espero coisa boa, já que se trata dos vingadores 
O sétimo livro lançado foi Homem-Formiga: Inimigo natural, de Jason Starr. Esse eu também li (e mais um pra resenhar pra vocês, #shameOnMe), mas já adianto que me apaixonei pela história e principalmente pelo personagem, que eu não conhecia até então. Ah, e ele é o mesmo Homem-Formiga do filme lançado no ano passado, com o Paul Rudd no papel do super-herói 
O oitavo livro lançado foi Guardiões da galáxia: Caos na galáxia, de Dan Abnett. Ainda não li esse mas sei que conta uma aventura do Rocket e do Groot (eu sou Groot ), então mal posso esperar para ler ele logo.
O nono livro lançado foi Guerras secretas, de Alex Irvine. Ainda não li esse também; só sei que é mais uma adaptação de uma das HQs, como o Guerra Civil, mas dessa vez com diversos heróis lutando contra outros tantos vilões. Ou seja: mais um que estou louca pra ler *-*
O décimo livro lançado foi Deadpool: Dog Park, de Stephan Petrucha. Outro livro que não li e estou mega curiosa para conhecer a história, principalmente depois de assistir ao filme do personagem e conhecê-lo, pois até então só tinha ouvido falar dele mas nunca tinha lido ou visto nada sobre ele.
E o décimo primeiro livro lançado foi A morte do Capitão América, de Larry Hama. Esse também não li; mas, diferente dos outros, não sei se quero ler tão cedo. Um livro onde o Steve Rogers morre?! :S 

Por enquanto só foram lançados esses, mas ao que tudo indica muitos livros ainda estão por vir, ainda mais por causa dos inúmeros filmes que estão vindo aí (para alegria dos fãs e tristeza das nossas carteiras XD).

E para encerrar esse post do Especial Marvel, trago hoje a resenha do primeiro livro que marcou o universo Marvel no mundo da leitura: Guerra Civil, de Stuart Moore.
Um desastre terrível envolvendo inúmeras mortes de civis, de super-heróis e super vilões. É com essa premissa que começa a história do livro Guerra Civil, adaptado dos quadrinhos homônimos de Mark Millar e Steve McNiven.

Tudo começa com um reality show idealizado pelo grupo de heróis chamados Novos Guerreiros; o grupo fora gravar um novo episódio de seu show na cidade de Stamford, Connecticut, enquanto perseguia outro grupo (este, de vilões) aparentemente inofensivo. Porém os novos guerreiros não esperavam que Nitro, um vilão com poderes extremamente perigosos, estivesse entre esse grupo de vilões, o que causou um acidente de enormes proporções no local proporções.

“Oitocentos e cinquenta e nove moradores de Stamford, Connecticut, morreram naquele dia [...]”
(Stuart Moore, p.17)

Como consequência da catástrofe, o governo decidiu que era o momento dos super-heróis se registrarem, tendo suas identidades conhecidas publicamente, uma vez que sendo suas reais identidades desconhecidas pelos civis, estes passaram a temê-los, sem saber quem era mocinho e quem era vilão. Desta forma, e em parceria com a S.H.I.E.L.D., os heróis deveriam se registrar dentro de determinado prazo, caso contrário seriam dados como foras da lei e presos como se fossem vilões (caso usassem seus poderes indevidamente, ou seja, sem o consentimento do governo).
Os heróis, é claro, não ficaram tão contentes com a ideia, que os deixou em posição bastante delicada - em especial Tony Stark, o Homem de Ferro, que como super-herói muito popular, se viu sem alternativa a não ser acatar às novas ordens do governo e registrar-se.

“[...] Mas Tony tinha de admitir que, conforme o mundo ficava mais perigoso, seres com superpoderes se tornavam cada vez menos populares entre os civis. Sendo o Vingador mais famoso e tendo sua identidade conhecida pelo grande público, Tony sentia-se especialmente obrigado a garantir que ambos os lados fossem ouvidos.”
(Stuart Moore, p. 24)

O mesmo não acontece com Steve Rogers, nosso querido Capitão América, que não concorda com essa medida - conhecida como Lei de Registro de Super-Humanos - e decide não se registrar, apesar das consequências. E, como ele, outros super-heróis também não concordaram com a medida, fosse por temer pela segurança de parentes e amigos próximos (já que além dos civis, os vilões também saberiam suas verdadeiras identidades, o que colocaria os mais próximos em riscos), ou por simplesmente não concordarem com a ideia de se expor desta forma.
Os heróis acabaram então ficando em lados separados: aqueles a favor da Lei de Registro, “liderados” por Tony, e aqueles contra, “liderados” pelo Capitão. E assim “nasceu” a Guerra Civil, com heróis contra heróis, uns com a lei, outros fora da lei.
Steve vs Tony, amigo vs amigo, herói vs herói

Este livro é incrível em todos os sentidos (apesar do fato principal, que é a separação do universo Marvel). A ação, presente do início ao fim da narrativa, dá vontade de ler mais e mais para saber o que virá a seguir, e os personagens presentes (quase todos os super-heróis do universo do tio Stan mito Lee) são um ponto fortíssimo para a história, mostrando não somente o lado poderoso de cada um, mas também o lado mais humano deles, seus temores, sua lealdade, seus limites.
Um livro sensacional que deve ser lido por todos, seja você fã dos quadrinhos da Marvel ou não. Leitura recomendadíssima!

391 páginas | 1° edição | 2014 | Novo Século




E assim termino mais um post da série Especial Marvel. Espero que tenham gostado e até o próximo ;)



quinta-feira, 12 de maio de 2016

Resenha {Livro} - Se eu ficar (Gayle Formam)

Numa fria manhã de nevasca, a vida de Mia mudou completamente. Ao sair numa viagem de carro com os pais e o irmão caçula, os quatro sofrem um terrível acidente que deixa Mia gravemente ferida, entre a vida e a morte, numa cama de hospital.

“Todos pensam que foi por causa da neve. E, de certa forma, creio que estejam certos.”
(Gayler Forman, p. 7)

Porém algo muito estranho aconteceu: Mia vê tudo o que acontece “de fora”, como se fosse outra pessoa observando o acidente que sofrera, sem poder se comunicar com os médicos que vão a seu socorro e de sua família.
Relembrando os momentos bons (e também os ruins) que tivera com os pais, o irmão, os avós, com sua melhor amiga, Kim, e com seu grande amor, Adam, caberá a Mia decidir se deverá ou não ficar, analisando sua vida em busca de motivos para ambos os lados, para descobrir o que será o melhor para ela afinal, ainda que a decisão que ela tomar lhe doa.

“Se eu ficar. Se eu viver. A escolha é minha.”
(Gayler Forman, p. 75)

Narrado em primeira pessoa, a história nos é contada por Mia desde a manhã em que sofrera o trágico acidente até horas depois, ainda no hospital, em estado de coma vendo tudo que se passa ao seu redor, alternando com momentos de sua vida com a família e os amigos em flashbacks.
Se eu ficar é aquele tipo de livro que emociona (chorei muito, não nego!), mas que também encanta pela “simplicidade” das coisas que aconteceram ao longo da vida de Mia, que a tornaram (bem como a trama) algo bastante verossímil (o que aproxima muito o leitor da história).
Uma história sobre família, amizade, amor, perdas e escolhas difíceis e importantes.
Recomendo essa leitura a todos e todas; só não esqueça de preparar uma caixinha de lenços ^^’

"Às vezes você faz escolhas na vida e às vezes as escolhas fazem você".

Ps.: Recomendo também que vocês assistam ao filme baseado no livro, que não deixou nada a desejar do livro.

1° edição | 2014 | Novo Conceito | 196 páginas



segunda-feira, 9 de maio de 2016

Resenha {Livro} - Mil pedaços de você (Claudia Gray)

Mil pedaços de Você é aquele tipo de livro que te prende pela escrita envolvente, com personagens marcantes, é um livro que te faz amar um personagem e algumas páginas depois odiá-lo ou vice-versa.
Seu enredo trabalha com viagens (os chamados pulos, no livro) para outras dimensões, na qual, dois brilhantes cientistas construíram um dispositivo que permite essa viagem, esses pulos, o chamado Firebird (Firebird que dá nome a série).
Esses cientistas são Henry Caine e Sophia Kovalenka, pais de Josie e Marguerite, nossa personagem principal e narradora, e esses cientistas contam com a ajuda de dois estagiários, Theo e Paul Markov (Nota: neste primeiro livro, Paul é meu personagem preferido).
Marguerite não é nada parecida com seus pais e sua irmã, que estão sempre pensando em ciência, equações e dimensões, ela é a artista da família, pintora.
Henry e Sophia são dois gênios da atualidade, pais presentes e amorosos.
Os estagiários são como parte da família, vivem aparecendo na casa dos Caine, e são brilhantes como seus mentores.
A ação começa, quando um acidente envolvendo o pai de Marguerite, muda a vida de muita gente, tudo isso por causa do famoso Firebird, financiado por uma das maiores empresas de tecnologia, Tríade, que está envolvida no acidente, juntamente e supostamente com um dos pupilos dos pais de Marguerite, com a intenção de aprimorar, para o mal, o dispositivo.
Desta forma, caros leitores, Marguerite e Theo resolvem ir atrás de Paul Markov, simplesmente pulando as dimensões até encontrá-lo, pois acreditam que Paul é o responsável pelo assassinato de Henry Caine.
O legal é descobrirmos junto com a Marguerite o que são os pulos, apesar de ela saber um pouco, devido ao fato de escutar sobre isso a vida toda.
No seu primeiro  pulo, ela descobre que a Marguerite da tal dimensão, em uma Londres com tecnologia avançada, é um pouquinho diferente dela, é mais ousada e aventureira. Já no seu próximo pulo, a Marguerite de lá é uma Grã Duquesa, isso mesmo gente é na Russia, a dimensão onde ela mais demora a sair e é a mais divertida e empolgante também, e vive cada aventura e um romance de tirar o fôlego. E no outro pulo, é uma Marguerite de uma dimensão muito parecida com a dela, diferente em pequenos detalhes, bom, e mais um vez e novamente ela usa o dispositivo, o pulo a leva para uma dimensão meio futurística, não como a de Londres que era super tecnológica, mas é em um ponto onde o mar encobriu parte do litoral e as pessoas vivem em uma base aquática, algo assim, mas é nessa dimensão que o mistério vai se revelar.
Calma pessoal, sei que é muita informação, e isso é pouco ainda, se falar mais será spoiler total, a história é cheia de detalhes, com romance, muitos plost twists e muitas revelações, coisas que realmente são difíceis de imaginar que aconteceria e de repente BUM!, porém, ao mesmo tempo em que o enredo é isso tudo, pequenos detalhes ainda ficaram confusos para minha pessoa, por exemplo, quando alguém usa o Firebird e pula para outra dimensão, ela fica no corpo da pessoa que é ela na tal dimensão, como se possuísse essa pessoa, no caso é como se a pessoa apagasse, mas como o corpo real de quem fez o pulo, fica na sua própria dimensão?  A autora tentou explicar isso, mas só percebi  bem depois, e não me convenceu muito a explicação, além de o desfecho ser meio parado, só que nada disso diminui a incrível história de Cláudia Gray. 
Super recomendo o livro, adorei, li muito rápido, a leitura é envolvente demais, você vibra junto, o romance é maravilhoso, a ação e os personagens foram bem construídos.
Bom, só me resta aguardar a continuação de Mil Pedaços de Você na ansiedade!!!  

Beijinhos e até a próxima resenha!!!

288 páginas | 1º edição | 2015 | Agir Now



sábado, 7 de maio de 2016

Projeto #LeggoIndicare (Leio e Indico) - Participe você também

No final do mês passado, a Belle e a Moony conversávamos sobre nossas metas de leituras do ano; papo vai e papo vem, ela sugeriu o seguinte: que eu indicasse uma leitura para que ela lesse esse mês e ela me indicasse outra, sendo que cada uma emprestaria o livro indicado pela outra. Concordamos então em fazermos essa troca (temporária) de livros, sendo eles surpresa, e iniciaríamos nossas novas leituras agora, em maio. Eis então que nossa equipe ganha mais uma integrante, a Naila, que também topou participar do desafio; e assim nós três "trocamos" nossos livros e logo começamos nossas novas leituras indicadas, que ficaram da seguinte forma:
Leitura da Belle (emprestado pela Moony)

Leitura da Moony (emprestado pela Naila)

Leitura da Naila (emprestado pela Belle)

Assim que começamos nossas novas leituras, trocamos nossas experiências umas com as outras, entre elas, as resenhas dos livros indicados, que vocês verão em breve aqui no blog.

Agora convidamos vocês, queridos leitores e leitoras, a participarem também! Troquem um livro (surpresa) com um amigo(a) e peça para ele ou ela fazer o mesmo; e assim vocês poderão trocar maravilhosas experiências literárias, como a gente. 
Ah, e não esqueçam de postar a foto da sua leitura nas redes socias com a hashtag #LeggoIndicare, para que possamos compartilha-la aqui, na página do Facebook e no Instagram do blog.

Beijinhos e até a próxima ^^