domingo, 24 de julho de 2016

Resenha {Livro} - O resgate do tigre (Colleen Houck)

Se você ainda não leu a resenha do livro anterior, A maldição do tigre, confira-a clicando aqui.

Livro cedido em parceria com a editora Arqueiro para resenha ♡

Após lutar contra terríveis demônios, os kappa, entre outros perigos, quebrando parte da maldição secular que atingira os irmãos príncipes indianos Dhiren (Ren) e Kishan, Kelsey está de volta ao Oregon. Triste por ter deixado seu tigre Ren para trás, na índia (por culpa dela mesma ¬¬'), Kelsey divide seus dias entre as aulas na faculde - onde o Sr. Kadam fizera questão de matriculá-la - e desastrosos encontros amorosos (para que ela pudesse esquecer Ren ¬¬'); até que Ren vai a seu encontro e os dois voltam enfim a ficar juntos. 
Porém a felicidade dos dois dura bem pouco: Lokesh, sabendo do papel fundamental de Kelsey em quebrar a maldição, está atrás dela, e caberá a Ren e seu irmão protege-la do temido vilão. 

"[...] Os fios da urdidura são grossos, fortes e normalmente simples, mas, sem eles, a trama não tem onde se agarrar. Seus tigres se agarram em você; precisam de você. Sem você, eles seriam levados pelos ventos do mundo."
(Colleen Houck, p. 193)

Acreditando que conseguiram, por hora, escapar do feiticeiro, eles retornam à Índia; mas, durante a fuga, Ren é sequestrado por Lokesh, que o faz seu prisioneiro. Agora o cumprimento da nova tarefa para quebrar mais uma parte da maldição do tigre dependerá de Kelsey e Kishan, que auxiliados pela deusa Durga e pelas pesquisas do Sr. Kadam partirão numa jornada repleta de aventuras, perigos e sentimentos inesperados.

Surpresas aguardam o leitor no segundo volume da série Maldição do tigre, que como diz na sinopse "[...] Com o dobro de ação, aventura e romance, este livro oferece a seus leitores uma experiência arrebatadora da primeira à última página."
Gostei bastante desse livro, embora tenha achado o começo meio arrastado (a Kelsey estava muito chata, se lamentando a todo momento pela "perda" do Ren ¬¬'); mas depois dessa parte, quando eles voltaram pra Índia, a ação veio com tudo, e até a parte mais romântica foi empolgante de ler (sou meio suspeita pra comentar sobre romance, porque não curto muito romance clichê, meloso e etc.). Kishan foi uma surpresa e tanto nesse livro, mostrando sua importância da mesma forma que Ren havia demonstrado no livro anterior; e a Kelsey está menos chata (depois daquele início cheio de "mimimi" por parte dela), o que mostrou mais do que nunca sua preocupação com os irmãos. 

421 páginas | 1° edição | 2012 | Arqueiro







Nenhum comentário:

Postar um comentário