quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Resenha {Livro} - Querido Diário, Eu Morri (R. L. Stine)

Depois de muitos séculos sem resenhar, hoje apresento o livro infanto-juvenil “Querido Diário, Eu Morri” de R. L. Stine. Até passar pelo Projeto Mais Leitura no Poupa Tempo do Bangu Shopping, não conhecia este autor que é considerado o Stephen King do mundo infantil. Inclusive, sua série de livros “Goosebumps”, se tornou uma série de grande sucesso nos anos 1990 (e tem a primeira temporada na Netflix).
A série de livros “A Hora do Arrepio” possui 15 livros, mas somente 11 deles estão traduzidos para o português. O livro que achei por apenas R$2,00 foi o “Querido Diário, Eu Morri” que conta a história de Alex Silve, um jovem que ama apostar com seus amigos e, num belo dia, encontra um diário um tanto quanto suspeito dentro de uma escrivaninha antiga. Ao abrir o diário, Alex nota que há uma anotação com sua letra sobre o dia seguinte. O jovem não se importa muito, mas fica precavido até que chega o dia seguinte e tudo que estava no diário ocorre. Fascinado, o menino faz apostas com seus amigos, sem revelar sobre o diário. Mas “coisas” estranhas vão acontecendo aos poucos, assuntando Alex. A obra termina de forma interessante e instigante da mesma maneira que algumas obras de King que já li. 
R. L. Stine escreve de forma leva e instigante, que não dá vontade de parar até chegar ao final e descobrir logo toda a razão dos acontecimentos estranhos. Eu li o livro em apenas um dia, pois tem apenas 139 páginas. E enquanto escrevia esta resenha, achei uma série no Youtube baseada nos livros “A Hora do Arrepio” e o episódio 10 é justamente o do livro que estamos falando. Tem algumas diferenças que não ficaram boas, mas, no geral, é bem produzido e interessante. 
Eis o link para quem quiser assistir: https://www.youtube.com/watch?v=1WrBBuaIoJY

144 páginas | 1ª edição | 2007 | Rocco




“Malfeito feito.”


sábado, 2 de dezembro de 2017

Ansel Elgort estrelará adaptação de "O pintassilgo"

Conhecido pelos personagens Augustos (Gus) Waters e Caleb Prior nas adaptações cinematográficas de A culpa é das estrelas (The fault in our stars) e Divergente (Divergent) respectivamente, o ator Ansel Elgort, que este ano ganhou notoriedade por seu papel no filme Em Ritmo de fuga (Baby driver), estrelará outra adaptação cinematográfica de um livro.
Segundo a revista Variety, Ansel encarnará Theodore (Theo) Decker, o protagonista de O pintassilgo (The Goldfinch), romance da americana Donna Tart, vencedor do prêmio Pulitzer de ficção em 2014, contando com direção de John Crowley, conhecido pelo filme Brooklyn.
Se a adaptação de O pintassilgo for tão boa quanto o livro, este será mais um filme de sucesso com a participação de Ansel.

Há ainda rumores de que o ator Ralph Fiennes, o Voldemort da série Harry Potter, poderá vir a atuar ao lado de Ansel como o mentor de seu personagem, porém nada foi confirmado.
A produção começará no início de 2018, então certamente em breve teremos maiores novidades.

Confira a seguir a sinopse do livro:
Theo Decker, um nova-iorquino de treze anos, sobrevive milagrosamente a um acidente que mata sua mãe. Abandonado pelo pai, Theo é levado pela família de um amigo rico. Desnorteado em seu novo e estranho apartamento na Park Avenue, perseguido por colegas de escola com quem não consegue se comunicar e, acima de tudo, atormentado pela ausência da mãe, Theo se apega a uma importante lembrança dela: uma pequena, misteriosa e cativante pintura que acabará por arrastá-lo ao submundo da arte. 

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Resenha {Livro} Menina Má (William March)

Seria a maldade ou a psicopatia algo genético? Alguém pode mesmo nascer mau ou aprende-se a ser mau com o tempo e pelo ambiente em que vive, ou seja, sendo fruto do meio?
Essas são as principais questões abordadas em Menina má, último romance, e o de maior notoriedade, de William March.

Anos 50, na cidade de Baltimore, EUA, a família Penmark acabara de fixar nova residência. Enquanto o Sr. Kenneth Penmark viajava a trabalho, viviam em seu novo endereço a esposa, Sra. Christine Penmark, e a adorável filha do casal, a pequena Rhoda Penmark, que com seu sorriso de covinha e jeito perspicaz, em seus apenas 8  anos encantava a todos a sua volta. Exceto as crianças de sua idade...
"Afinal, qual era o problema de Rhoda? Por que ela não agia como as outras meninas da sua idade? Qual era a explicação para aquele estranho comportamento antissocial? Ela pensou no passado, retrocedendo ao começo da vida da menina, esforçando-se para enxergar se falhara em educá-la ou amá-la, tentando encontrar erros que cometera [...] mas não conseguiu encontrar nada de importante."
(William March, p. 113)

Rhoda é bem diferente das outras crianças. Esperta, atenta e quieta, ela poderia muito bem passar por uma criança tímida se não fosse por sua desenvoltura na frente dos adultos. E o que ela tem em encanto por fora, tem também em egoísmo por dentro, fazendo aquilo que visa algum lucro para si. E o grande estopim se dá quando um coleguinha de classe de Rhoda morre num trágico e misterioso acidente enquanto ambos estavam num passeio da escola, ao que a menina reage normalmente enquanto qualquer criança estaria visivelmente abalada.
Contado sob o ponto de vista da mãe de Rhoda, que se vê sem saída ao descobrir a estranha “condição” de sua filha, se sente culpada por tudo que sua filha causara. E assim este suspense psicológico com ares de terror consegue prende quem o lê desde a primeira até a última página sempre fazendo indagar qual será o próximo passo de todos os personagens que permeiam a narrativa, personagens estes que como a protagonista possuem sua parcela de importância na construção da história.

O livro me surpreendeu positivamente e por isso indico ele a todos os leitores e leitoras que gostam de suspenses/thrillers, e acima de tudo, histórias bem escritas 😉
O filme baseado no romance, que recebeu o título de Tara Maldita aqui no Brasil (título horrível, mas enfim...), lançado em 1956, em preto e branco, contou com a direção de Mervyn Leroy - mesmo diretor de O mágico de Oz (1939). Apesar de ser um pouco diferente do livro, em sua maior parte está bem fiel à obra literária. Também recomendo 😉

262 páginas | 1ª edição | 2016 | DarkSide Books




terça-feira, 28 de novembro de 2017

{Caixinha de Correio} Novembro/2017

Boa tarde queridos leitores e leitoras do meu Brasil!! Como vocês estão?
Estou aos poucos voltando aos posts usuais do blog, então hoje é dia de mostrar  os livrinhos novos que chegaram pra mim este mês. Vamos lá?!
- Tiradentes Carioca: As relações dos inconfidentes mineiros com o Rio de Janeiro (André Luis Mansur e Ronaldo Morais)
Ganhei este livro do autor, o André Luis Mansur, me sinto honrada de mostra-lo aqui, pois fiz parte dele de certa forma. Sou diagramadora e capista, já trabalhei numa editora pequena que publicou os livros do André, e quando ele me chamou para trabalhar como diagramadora e capista neste livro independente que ele iria lançar este ano, fiquei mega feliz e lisonjeada e poder fazer parte disso *-* Estou lendo o livro físico agora (depois de ler o e-book) e amando (de novo ^^’) poder conhecer a história desse grande “personagem” do nosso país.
- A noiva do capitão (Tessa Dare)
Ganhei esse livro no evento de Romances de Época que teve numa livraria do meu bairro este mês. Quando o ganhei, fiquei meio chateada pois ele era o terceiro da série Castles Ever After, mas aí fui ler o prólogo e vi que dava pra ler fora da ordem; e como gostei da história logo nas primeiras páginas, não pensei duas vezes: devorei-o em alguns dias e me encantei pela história *-* A resenha dele será postada em breve aqui no blog ;)
- Como parar o tempo (Matt Haig)
Recebi esse livro em parceria com a queridíssima HarperCollins Brasil e logo assim que ele chegou, comecei a ler (muito devido ao atraso dos Correios, que atrasou também minhas leituras, mas enfim...). Amei a história diferente e bem inusitada do livro e indico a todos e todas! Inclusive já tem resenha dele aqui no blog, que pode ser lida clicando aqui.

- Os cinco do ciclo (Elias Flamel)
Por fim, porém não menos importante, esse mês também recebi um e-book e de um autor nacional de literatura fantástica (amo/sou <3). Estou lendo e gostando bastante da história e assim que possível trarei resenha dele aqui também ^_^
--------------------------------------------------
Este foi mais um mês super positivo para meu vício literário, com livros recebidos que eu tive o prazer enorme em ler e recomendar a outros leitores.

sábado, 25 de novembro de 2017

{Lançamento} Ordem Vermelha, por Felipe Castilho

Em dezembro, os leitores vão conhecer Untherak, a última região habitada do mundo. Nela, a deusa Una reina soberana, lembrando a todos a missão maior de suas vidas: servir a Ela sem questionamentos. No entanto, um pequeno grupo de rebeldes, liderado por uma figura misteriosa, está disposto a tudo para tirá-la do trono, desvendar os segredos do lugar e se preparar para a possibilidade de um futuro totalmente desconhecido. Se uma deusa cai, o que vem depois?

Ordem Vermelha: Filhos da Degradação é o livro que inicia a jornada de quatro improváveis heróis lutando pela liberdade de um povo. Um épico sobre resistir à opressão, lutar contra o status quo e construir bravamente o próprio destino. É a porta de entrada para um novo mundo, com inspirações de fantasia medieval, personagens marcantes e uma narrativa que salta das páginas a cada vila, ruela e beco de Untherak.

Primeiro livro de fantasia que a Intrínseca lança em parceria com a CCXP – Comic Con Experience –, escrito por Felipe Castilho em cocriação com Rodrigo Bastos Didier e Victor Hugo Sousa, será lançado em 7 de dezembro, durante a CCXP, e já está em pré-venda.

As seis faces da deusa Una
Observam você aonde quer que você vá.
Às vésperas de mais um Festival da Morte,
Chegou a hora de retribuir esse olhar.
Bem de perto.

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

Resenha {Livro} Como parar o tempo (Matt Haig)

Exemplar de cortesia da editora ♡

Uma história encantadora e inusitada, diferente de tudo que eu já li. Assim eu melhor consigo definir o novo romance de Matt Haig lançado este ano pela Harper Collins Brasil.

Em Como parar o tempo conhecemos Tom Hazard, um homem que aparente ter por volta de 40 anos mas que na verdade está com mais de 400 anos graças a uma rara doença conhecida no universo ficcional de Matt Haig por anageria (basicamente o oposto da progeria, doença caracterizada pelo envelhecimento precoce), que faz com que o indivíduo portador tenha seu processo de envelhecimento bem mais lento do que o envelhecimento dos que não possuem a doença, e que na concepção de Tom e de outros portadores da doença, ela é perigosa a todos aqueles que a conhecem. Ele deve então manter esta informação sobre si em absoluto segredo, escondendo sua condição de todos que o cercam a fim de não colocá-los em perigo, decidindo assim juntar-se a Sociedade Albatroz, um grupo de pessoas portadoras da anageria que devem viver somente 8 anos em um mesmo local e numa mesma localidade a fim de não levantarem suspeitas - já que eles não envelheceriam como os demais a sua volta. E entre suas diversas trocas de identidade, Tom decide se tornar um professor de História na Inglaterra atual, esperando usar suas próprias experiências de vida ao longo dos séculos em que viveu.

"- A história não precisa ganhar vida. Ela já é viva. Nós somos a história. A história não são os políticos, reis e rainhas. História é todo mundo. É tudo [...]"
(Matt Haig, p. 23)

Há também outra regra, além desta, que é primordial aos membros da Sociedade Albatroz: eles não devem se apaixonar, pois com o amor vêm os laços, e com os laços, dificilmente um alba (quem é membro da Sociedade Albatroz) conseguiria desapegar-se da nova vida que assumira para si. 

Tom pode não sofrer como as efemérida - pessoas que não têm anageria - com relação à morte iminente, mas acaba sofrendo da mesma maneira por não poder viver sua vida plenamente, estando também sempre sobrecarregado com séculos de vivência.

"[...] Tudo que se pode fazer com o passado é carregá-lo, sentir seu peso aumentar lentamente, rezando para que ele não o esmague de vez."
(Matt Haig, p. 67)

Apresentando personagens e lugares conhecidos da história mundial, a narrativa se mostra um verdadeiro "passeio" pela história geral, com menções de destaque a fatos e localidades que marcaram o mundo ao longo dos séculos passados.
Com um misto de drama, fantasia e só um pouquinho de romance, pois este não é o foco da narrativa, esta é uma história leve, escrita de maneira quase poética, para se ler em qualquer momento e em qualquer lugar, prendendo o leitor de maneira a transportá-lo pelo tempo através da inusitada vida de Tom. 

Só senti falta de algumas notas de rodapé traduzindo algumas frases em francês que estão presentes na história, pois mesmo sendo poucas, elas são bastante condizentes com o que está sendo narrado e complemente lindamente a narrativa. Porém dá para entender pelo contexto, então não é nada que atrapalhe muito a leitura ;)

Algo que me fez vibrar enquanto lia foram as menções aos estados do Rio e São Paulo, que foram locais que o Tom visitou, então o autor com certeza já ganhou alguns pontos comigo *-*

E não posso deixar de comentar sobre esta edição da Harper Collins Brasil, que adaptou a capa da edição britânica e trás uma ilustração bem fofa nas partes internas da capa e da contra capa.
E por fim (mas não menos importante!), em breve teremos maiores informações sobre a adaptação cinematográfica da obra, que contará com a participação de Benedict Cumberbatch (o Sherlock da série da BBC e Doutor Estranho nos novos filmes da Marvel). Mais um motivo para os fãs do ator lerem este livro *-*

"- Chega um momento em que a única forma de começar a viver é dizendo a verdade. Ser quem você é, mesmo que perigoso."
(Matt Haig, p. 263)


319 páginas | 1ª edição | 2017 | Harper Collins Brasil




sábado, 18 de novembro de 2017

{Lançamento} Tipos Incomuns, por Tom Hanks

“Os diálogos de Tom Hanks são excelentes e suas histórias têm a doçura, o humor e a afeição que associamos a seus roteiros, dignas de um verdadeiro escritor.”
-Kirkus Reviews

“Quer dizer que Tom Hanks também é um escritor hilário e perspicaz com uma mente que não para de nos surpreender? Que droga!”
-Steve Martin

“Tom Hanks se mostra um escritor com E maiúsculo. As histórias de Tipos incomuns vão do hilário ao profundamente tocante. Elas variam em época, cenário e estilo, mas todas demonstram o júbilo da escrita, o prazer de descrever atmosferas, amizades, vidas e famílias que são, em todos os detalhes, inteligentes, cativantes e humanas. Tudo isso acrescido do arguto poder de observação e inteligência empática que sempre destacaram Tom Hanks. Eu apenas pisco e balbucio, perplexo e admirado com seus textos.”
-Stephen Fry

Um affaire agitado e divertido e entre dois grandes amigos. Um ator medíocre que se torna uma estrela e se vê em meio à frenética viagem de divulgação de um filme. O colunista de uma cidadezinha com um ponto de vista antiquado sobre o mundo. Uma mulher se adaptando à vida na nova vizinhança após o divórcio. Quatro amigos e sua viagem de ida e volta à Lua num foguete construído num fundo de quintal.

Essas são apenas algumas das pessoas e situações que Tom Hanks explora em sua primeira obra de ficção, uma coletânea de histórias que disseca, com grande afeição, humor e perspicácia, a condição humana e todos os seus defeitos. Os contos têm algo em comum: em todos, uma máquina de escrever desempenha um papel - às vezes menor, às vezes central.

Conhecido por sua sensibilidade como ator, Hanks traz essa característica para sua escrita. Ora extravagante, ora comovente, ocasionalmente melancólico, Tipos incomuns deleitará e surpreenderá seus milhões de fãs.

> Saiba mais em: http://tiposincomuns.com.br

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Resenha {Livro} Esposa perfeita (Karin Slaughter)

Exemplar de cortesia da editora

Esposa perfeita faz parte da série do detetive Will Trent, porém apesar de ser o oitavo livro da referida série, dá para se situar bem em alguns detalhes sobre a vida das personagens principais no decorrer da leitura.

Antes da história propriamente dita, logo de cara nos deparamos com um prólogo arrasador que narra nascimento e morte sem, porém, identificar a quem estes se referem - o que descobriremos mais à frente do livro.

Então começa a história. Estamos diante da cena de um crime: um ex-policial fora assassinado e cabe à equipe dos policiais Will Trent e Faith descobrir quem foi o responsável por esta morte. Só que esta não será uma simples investigação de assassinato: o local onde encontraram o corpo do ex-policial pertence a Marcus Rippy, famoso jogador de basquete acusado de estupro e que estava sendo investigado por Will. E como se isso não bastasse, alguém do passado de Will possivelmente estaria envolvido neste novo caso.

“Era a sensação que Faith sentira o dia todo: algo não estava batendo.
Faith odiava quando as coisas não batiam.”
(Karin Slaughter, p. 123)

Nada é como parece e agora que Will está diretamente ligado ao caso, seu passado poderá vir à tona, trazendo suas dores e medos à superfície.

Abordando temas como violência doméstica, relacionamento abusivo, violência contra a mulher, entre outros “tabus” da nossa sociedade, Karin constrói em Esposa perfeita um thriller repleto de reviravoltas e personagens e situações críveis, reforçando o conceito da sociedade machista que trata a mulher como a vilã e o homem como o mocinho mesmo quando tudo aponta para o lado contrário.

“[...] O mundo poderia criar todos os tipos de desculpas quando um homem estuprava e surrava uma mulher. Mas não tantas quando era uma mulher que fazia isso.”
(Karin Slaughter, p. 445)

Assim, indo além do romance policial convencional, Esposa perfeita mostra o lado pessoal dos personagens da narrativa, dando-lhes um aspecto mais humano e verossímil ao terem parte de suas histórias de vida contadas.
Meu livro lindo autografado <3

Mais uma vez estou encantada por algo escrito desta autora e mal posso esperar para ler seus outros livros lançados.
Sobre a série Will Trent aqui no Brasil, este foi o primeiro lançado pela editora HarperCollins. Os livros 1, 2, 3 e 4 foram lançados pela editora Record, e por enquanto não há maiores informações sobre os demais livros.

461 páginas | 1ª edição | 2017 | HarperCollins Brasil






quinta-feira, 9 de novembro de 2017

Resenha {Livro} O medo mais profundo (Harlan Coben)

Exemplar de cortesia da editora

Faz mais de um ano que não leio nada do mestre Harlan Coben, e quando vi esse na estante, não pensei duas vezes: tenho que ler! E mais uma vez me surpreendi com a engenhosidade dele ao criar uma boa história.

Nesta aventura do aspirante a detetive Myron Bolitar e seu amigo - e, porque não, parceiro - Win, conhecemos um pouco mais de Myron, seus dramas familiares envolvendo os pais, que estão prestes a ser mudar da casa de infância de Myron, e uma paixão do seu passado, Emily Downing, que retorna à vida de Myron para lhe pedir um favor crucial: salvar a vida de seu filho, o pequeno Jeromy, portador de uma doença rara e que precisa urgentemente de um transplante de medula óssea, e como o doador compatível com o menino desapareceu do mapa, Emily resolve procurar Myron a fim de que ele possa encontrar o tal doador, jogando também a “bomba” de que Jeromy é filho dele, o que deixa o ex-atleta em dúvida sobre seu papel de pai e até mesmo de filho.

“- Você não deve nada a esse garoto - continuou Win - e ele não deve nada a você. Vamos salvar a vida dele, se é isso que você quer, mas nada além.” (Harlan Coben, p. 40)

Agora, o que seria só mais um trabalho detetivesco para Myron, torna-se também uma questão pessoal e praticamente de honra, uma vez que a vida de seu filho, até então desconhecido, está em risco. E o que a princípio parecia um simples caso de encontrar alguém desaparecido mostra-se muito mais profundo, numa trama intrincada envolvendo família, poder e o que o dinheiro pode (ou não) fazer.

Indo além das aventuras policiais, Harlan Coben tece aqui uma história com dramas pessoais e familiares, fazendo-nos questionar sobre até que o ponto iria o ser humano para proteger a família e aqueles que ama; e por isso indico a leitura a todos os que gostam de um bom romance policial com aquele algo mais que só o “mestre das noites em claro” consegue fazer!

270 páginas | 1ª edição | 2016 | Arqueiro




sábado, 4 de novembro de 2017

Parceria: Elias Flamel e Os cinco do Ciclo

Boa tarde queridos leitores e leitoras do meu Brasil!!!!
É com muita alegria que venho hoje anunciar o mais novo parceiro do blog: Elias Flamel, autor de Os cinco do ciclo, já disponível para compra pela Amazon (compre o livro clicando aqui).

---------------------------------------------------

Blogueiros literários têm contato com diversos tipos de leituras e autores e no caso da ficção fantástica, muitas obras do gênero têm como foco o jogo político de nobres pelo poder, o desejo da queda de um soberano e a ascensão de um humilde para um lugar de riqueza.

Mas e se uma obra fantástica fosse voltada para um humilde líder de uma vila? Um homem comum que trabalha na terra, ama o seu povo, sua família, e não deseja riquezas. E se este homem recebesse um pedido de socorro dos deuses aos quais cultua?

Conheça Os cinco do ciclo:
Yosef de Keltoi. Presenteado na infância, por uma de suas mães, com um tesouro de muitas páginas. Cresceu com pouco, encontrou o seu amor e ao lado dela teve que instigar uma revolução entre trabalhadores do campo. Sua vitória não foi perfeita, pois falhou contra os deuses que tanto venerava. Assim, o líder de uma vila pequena, e quase oculta entre os quatro cantos do mundo, vive o começo da sua velhice. 

Não reclama de ter vivido muitos ciclos e é servo de um império que pintou de rubro nações que ousaram ser grandes. Sempre preocupado com o seu povo e com a sua família. Qual vem primeiro? É uma pergunta que necessita de tempo e páginas para ser respondida. Hitalo, o mais velho dos seus filhos, exige mais firmeza com os homens do campo. No auge da juventude, o divertido e criativo Yohan deseja provar para o seu pai que é um homem feito. Morgiana, companheira de luta, enxerga muito além do que os olhos podem ver e deseja alertar o seu amado Yosef a respeito de algo muito difícil de fugir. 

Yosef parte para Numitor, sua viagem tem como destino a capital de todo o império, lar dos homens de togas brancas que praticam um culto conhecido pelas eras. E esses mesmos homens possuem legiões em seu poder. Era para ser somente mais uma viagem dos tributos, mas o homem comum ouve boatos que colocam em risco o seu lar, a sua cultura e as suas crenças. Uma ajuda é mais que necessária, mas aqueles que são os mais poderosos e dotados de uma sabedoria milenar começam a pedir socorro. Só Yosef, o líder, pode salvar o que tanto ama.

Ao tentar, é exposto o seu passado manchado, ele reencontra velhas amizades e conhece desejos guardados dentro do peito de um dos seus filhos. Sua vontade de ter o que tanto deseja fará Yosef se embrenhar pelas ruas do império. Será preciso conviver com ladrões, fardados de rubro, uma sociedade que ama a prata e o ouro e terá de lutar até mesmo contra a fúria da natureza.

Sobre o autor: 
Sou um no meio de tantos. Nascido em São Paulo capital, 28 anos, formado em Design, pós-graduado em Escrita Criativa e Análise Literária. Publiquei o meu primeiro livro Kriguerkan como Wesley Nunes, por uma pequena editora chamada Biblioteca24Horas. Não sou um pokémon, mas a evolução na escrita e no contar histórias me fez adotar um novo nome, um pseudônimo, melhor dizendo.

Mesmo amadurecendo e tentando sempre ter mais intimidade com a escrita não abandonei as paixões e fantasias da infância, elas que moldaram minha personalidade. 

Aficionado por mitologia, desde a grega até a africana. Vejo genialidade em Hamlet e no Batman. Por tanto tempo esperei, e confesso somente para os íntimos que ainda espero a carta de Hogwarts (no mundo bruxo existe tanta coruja destrambelhada!). É difícil, quase impossível não se inspirar com O Senhor dos Anéis, porém não quero imitar esta obra e sim aprender com quem a escreveu. Se estou com dinheiro, compro tudo que tenha em alguma parte o nome Alan Moore. Já vivi Cem anos de Solidão e ela pouco melhorou quando conheci o Admirável Mundo Novo. Enquanto aguardo o novo livro das Crônicas de Gelo e Fogo conheci Patrick Rothfuss e a ansiedade logo duplicou. Desculpe pelo excesso de palavras, antes de ser autor, sou um leitor e são raras as vezes que consigo parar de falar.  
Caso tenha chegado até esta linha, muito prazer! Sou Elias Flamel e a probabilidade de nos tornarmos amigos é muito grande, pois você já me conhece muito bem. 

---------------------------------------------------

Curioso? Então aguarde por novidades em breve ;)

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Sorteio - Happy Halloween & Potter Day ⚡

Para finalizar esse mês super divo, o Attraverso le Pagine está sorteando pelo Instagram um lindo kit de marcadores + aviso de porta de "Harry Potter". Yeah \0/
E para participar, basta seguir as seguintes regrinhas:
- Seguir o @attraversolepagine/
- Marcar 2 amigos nos comentários lá na imagem oficial do sorteio (pode comentar quantas vezes quiser desde que marque amigos diferentes).
- Ter endereço de entrega no Brasil.

* O sorteio será feito no dia 30/11, então só poderá participar até o dia 29/11, tá?! ;)
* O resultado será postado na foto oficial no Instagram do blog como último comentário.
* Entraremos em contato com o ganhador(a) por DM, então fique ligado!
* O envio do kit será feito em até 30 dias depois de informado o endereço.

Viram como é super fácil?! 
Agora é só participar e cruzar os dedos *-*

sábado, 28 de outubro de 2017

{Caixinha de Correio} Outubro/2017

Olá queridos leitores e leitoras do meu Brasil!!!
Depois de meses sem mostrar as novidades da minha estante, lhes trago hoje o que chegou de novo por aqui este mês. Vamos lá?

- Trago seu amor de volta sem pedir nada em troca (Ique Carvalho)
Ganhei esse no evento de livreiros e blogueiros (do 2º semestre do ano) das editoras Sextante e Arqueiro. Já li e super indico ;)

- As coisas que fazemos por amor (Kristin Hannah)
Esse ganhei no mesmo evento do livro anterior. A história parece ser bem fofa e mal posso esperar para poder ler ^-^

- Um beijo inesquecível (Julia Quinn)
Meu primeiro livro da DIVA Julia Quin ♡ Ganhei da minha super amiga Carla. Mal posso esperar para ler ele também (mas só quando já tiver lido o 5º e o 6º d'Os Bridgertons ^^)

- Só os animais salvam (Ceridwen Dovey)
Livro lindo e maravilhoso da DarkSide que eu estava doida pra ler desde que lançou esse ano (livro sobre animais, como não amar?!). Pretendo lê-lo mês que vem *-*

Silo #3: Legado (Hugh Howey)
Finalmente consegui o terceiro (e infelizmente) último livro dessa trilogia distópica incrível! Estou louquinha pra começar a ler *-* E um muito obrigada especial à Moony (amiga e resenhista aqui do blog) por comprar pra mim!!!

- Era uma vez à meia-noite (org. Luiz Antonio Aguiar)
Esse livro foi um verdadeiro achado! Uma coletânea de contos de Edgar Allan Poe e outros baseados em contos do autor escritos por autores brasileiro incluindo Pedro Bandeira *-* Não pensei duas vezes na hora de trazer pra casa (ainda mais pelo preço que estava *-*). Já li e super recomendo ;)

--------------------------------------------------

Eu diria que este mês foi muito bom para meu "vício literário".  Ganhei três livros que adorei e comprei outros que queria muito e um que foi uma enorme surpresa! Adorei os que já li e estou doida pra ler os que faltam.

sábado, 21 de outubro de 2017

{Lançamentos} Outubro na HarperCollins Brasil

No mês do Terror, a HarperCollins Brasil trás de volta ao mercado editorial brasileiro o vampiro mais famoso da literatura, Drácula, numa super coletânea reunindo diversos contos baseados no grande vampiro. Mas também tem livro para quem ama história e para os fãs de fantasia. Confira:
As mulheres do castelo (Jessica Shattuck)
336 páginas
Ao eclodir a Segunda Guerra Mundial, Marianne von Schneesingen retorna para o grande castelo, agora em ruínas, no qual ela era a anfitriã de bailes para a alta sociedade alemã. Viúva de um opositor ao regime nazista, Marianne prometeu que seria a protetora de todas as mulheres cujos maridos morreram para lutar contra Hitler, tornando sua missão abrigá-las nesta imensa fortaleza. Primeiro, ela salva Benita, a viúva de seu amigo de infância, da escravidão sexual imposta pelo exército russo, e Ania, uma mulher que vivia nos terríveis campos de trabalhos forçados para prisioneiros políticos. Em vão, Marianne tenta construir uma nova família para si mesma a partir dos destroços do movimento de resistência de seu marido, certa de que seu passado em comum as manterá unidas para sempre. Mas ela logo descobre que seu mundo é muito mais complicado do que imaginava. Enquanto Benita começa uma relação clandestina com um ex-soldado nazista, Ania luta para esconder seu passado do julgamento de Marianne. As três mulheres devem encarar o fato de que todas receberam três vidas: uma antes da guerra; outra, durante; e finalmente sua vida após a guerra, na qual elas devem carregar cada um seu próprio fardo.
Como parar o tempo (Matt Haig)
320 páginas
A PRIMEIRA REGRA É NÃO SE APAIXONAR.
Tom Hazard esconde um segredo perigoso. Ele pode aparentar ser um quarentão normal, mas por causa de uma estranha condição está vivo há séculos. Da Inglaterra elisabetana à era do jazz parisiense, e de Nova York aos mares do sul, Tom já testemunhou tanto que agora precisa apenas de uma vida normal.
Sempre trocando a identidade para se manter a salvo, ele encontra o disfarce perfeito trabalhando como professor de História em Londres. Assim, pode trazer suas experiências do passado como fatos vivos. Pode manipular as histórias para seus alunos. Pode levar uma vida normal. Tom só não pode se esquecer da primeira regra. Aquela sobre paixão…
Como parar o tempo é um romance doce e envolvente sobre como se perder e se encontrar na própria história. É sobre as certezas da mudança dos tempos e o tempo que a vida leva para nos ensinar como vivê-la.
Herdeiros de Drácula (Richard Dalby - org.)
528 páginas
Drácula, de Bram Stoker, é a mais famosa história de vampiro já escrita, embora não tenha sido a primeira a descrever a malignidade dos mortos-vivos – muito menos a última.
Em comemoração aos 120 anos de publicação de Drácula, esta antologia única reúne 25 contos raros escritos entre 1867 e 1940 por autores igualmente geniais, como Sir Arthur Conan Doyle e M.R. James.
Herdeiros de Drácula é um verdadeiro banquete para todos os aficionados por literatura fantástica e sobrenatural, um delicioso mergulho na história desses seres fascinantes e assustadores.

O farol e a libélula (org. Richard Dalby)
304 páginas
O inusitado encontro entre uma garota em busca de futuro e uma mulher redescobrindo seu passado.
Morgan, uma órfã problemática, precisa cumprir pena prestando serviço comunitário em um lar para idosos. Ali ela conhece Elizabeth Livingstone, uma senhora com a visão debilitada, mas que possui uma memória tão vívida quanto as histórias que guarda. Essas histórias aos poucos são reveladas quando, com a ajuda de Morgan, Elizabeth descobre os diários do falecido pai.
À medida que as palavras do diário tomam forma e são recriadas pelas lembranças, Elizabeth e Morgan percebem que seus destinos estão profundamente ligados à isolada ilha de formas nunca imaginadas. Enquanto Morgan descobre laços da própria família, os diários revelam mais perguntas que Elizabeth poderia responder, transformando sua percepção da realidade.
Romance magnífico, O farol e a libélula é repleto de palavras e histórias relevadas a cada virada de página, e que alinham passado e futuro com a amizade entre uma menina infratora e uma senhora misteriosa. Um sensível relato sobre o passar do tempo e uma celebração à própria experiência da vida.

William Wenton e o ladrão de Lurídio (Bobbie Peers)
224 páginas
William e sua família estão se escondendo desde o misterioso desaparecimento de seu avô. Mas quando seu talento extraordinário para desvendar códigos é descoberto, William é sequestrado e levado ao Instituto de Pesquisa de Pós-Humanos.
Porque alguém está atrás dele. Alguém que precisa das habilidades especiais de William para encontrar os últimos traços de uma substância estranha e poderosa chamada Luridium. William terá que usar toda a sua ingenuidade e habilidade de desvendar códigos para descobrir os segredos que o Instituto está escondendo. Quebra-cabeças impossíveis, criaturas cibernéticas e robôs sedentos de sangue estarão em seu caminho.
Amar e ser livre (Sri Prem Baba)
176 páginas
Neste livro, Prem Baba fala sobre a qualidade amorosa e o desenvolvimento das relações amorosas, mostrando que um relacionamento feliz vai além da realização pessoal. A construção de relacionamentos amorosos, saudáveis e construtivos é determinante para a construção de um mundo melhor, com menos maldade. Iluminando a nós mesmos, iluminaremos o mundo.