quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

Resenha {Livro} O feiticeiro de Terramar (Ursula K. Le Guin)

Livro cedido em parceria com a editora Arqueiro para resenha ♡

Em O feiticeiro de Terramar, primeiro livro do Ciclo de Terramar, de Ursula K. Le Guin, conhecemos Duny, uma criança considerada um prodígio em magia ao demonstrar grande poder e inteligência ainda pequeno. Ele inicia então seus estudos em magia com sua tia, uma bruxa de sua terra natal, a aldeia de Gont, que lhe ensina encantamentos simples, mais voltados às atividades no campo.
Ao completar 13 anos, Duny é apresentado ao mago Ogion, que vendo o grande potencial do menino para as artes mágicas, decide leva-lo à sua casa a fim de lhe ensinar o que sabe, que é bem mais avançado o que ele aprenderia na pequena aldeia, fazendo assim com que o menino Duny se torne Ged num renascimento, uma espécie de “rito de passagem” em Terramar.

“[...] Quando se aproximou da margem, Ogion, que estava à sua espera, estendeu-lhe a mão e, ao tocar o braço do garoto, murmurou seu verdadeiro nome: Ged.”
(Ursula K. Le Guin, p. 24)

O agora Ged, apelidado Gavião em decorrência de suas habilidades relacionadas à magia, se mostra ainda mais poderoso e inteligente com o passar dos anos, sempre com a sede aprender mais. E pensando que poderia aprender mais rápido e além daquilo que seu mentor se mostrava disposto a lhe ensinar, Ged se precipita, tentando estudar sozinho algo que está bem a frente de seu nível de habilidade.

“[...] A feitiçaria não é um jogo que jogamos por diversão ou para receber elogios. Pense nisto: toda palavra, todo ato de nossa arte, é falada e é feita para o bem ou para o mal. Antes de você falar ou fazer, tem que saber o preço a pagar.”
(Ursula K. Le Guin, p. 31)

Ogion, vendo que essa ânsia por aprender pode se tornar a ruína de seu aprendiz, lhe dá então duas opções de escolha: ou ele deverá ficar com Ogion e estudar de acordo com seus desígnios, ou deverá ir à Roke e lá completar seus estudos na escola de magia da região. Ged decide então ir à tal escola, onde aprenderá com os melhores magos de Terramar todas as técnicas em magia de acordo com seu nível de aprendizado até que esteja pronto a se tornar também um mago.
Entretanto sua sede por conhecimento mais uma vez ultrapassa seu bom senso, levando-o a um perigo inimaginável. Assim, Ged terá de usar tudo o que tem a seu favor - seu poder e sua inteligência -, encarando perigos e vivendo aventuras repletas de ação e magia ao longo de sua jornada por Terramar.
Quando abri o livro, dei logo de cara com esse mapa. Como não amar?! <3

Vou parar por aqui senão pode sair algum spoiler, o que não é minha intenção; mas deixo aqui meu “aviso”: ao ler este livro, você estará prestes a ler algo que foi o precursor de muitos outros do gênero fantasia e/ou aventura.
Publicado originalmente em 1968 e trazido ano passado ao Brasil pela editora Arqueiro, o livro nos mostra a jornada de um grande mago fora dos padrões de magos e feiticeiros da época antes deste se tornar grande, passando por parte de sua infância e juventude no processo de aprendizagem em magia - na teoria e na prática - e em questões morais, em, e aqui cito o grande bruxo Alvo Dumbledore, aceitar o que é certo ou o que é fácil, não deixando nada de fora mesmo nas suas menos de 200 páginas.

Algumas partes são um pouco arrastadas (e por isso não dei nota máxima ao livro), porém não é algo que atrapalhe a leitura, já que logo após essas partes mais “lentas” acontece alguma ação deixando a trama bem ágil.

Este foi sem dúvida uma boa surpresa literária, que me deixou ansiosa pela continuação logo que terminei sua leitura.
No mais, se você é fã de aventuras e fantasias, deixo aqui minha dica de leitura; e se não for ainda, quem sabe este não seja um bom livro para começar?!

169 páginas | 1ª edição | 2016 | Arqueiro






Um comentário:

  1. Nossa, eu estava mega afim de ler esse livro (tenho no LEV). Agora então, mais ainda. Amei saber que ele é dá década de 1960. ❤
    E amei a resenha. Mesmo. ❤��

    ResponderExcluir