sábado, 9 de setembro de 2017

Resenha {Livro} Fangirl (Rainbow Rowell)

Rainbow Rowell sempre consegue me cativar com suas histórias (sejam elas contos curtinhos ou longos romances), e com Fangirl não poderia ser diferente...
Aqui conhecemos Cather (Cath) Avery, uma jovem introvertida que acaba de entrar para a universidade Lincoln em Nebraska junto com sua irmã gêmea, Wren - que é o completo oposto da irmã - e terá de enfrentar os desafios que sua nova rotina irá lhe proporcionar.
Apaixonada por livros - em especial pela série literária de sucesso do jovem mago Simon Snow, de Gemma T. Leslie -  e pela escrita, Cath está tendo sérios problemas para se adaptar a esta nova fase de sua vida. Acostumada a viver com a irmã e o pai, escrevendo sua fanfic - Vá em frente (ou Carry On, em inglês) - sobre a série do mago, Cath terá de sair de sua zona de conforto agora que está estudando a escrita mais a fundo e morando com uma colega de quarto que não a entende como Wren a entendia, além de ter que lidar com Levi, o suposto namorado da colega de quarto dela. E tudo isso enquanto lida com suas próprias perdas.

“- Por que escrevemos ficção? - perguntou a professora.
Cath fitou novamente o notebook.
Pra desaparecer.”
(Rainbow Rowell, p. 27)

Para Cath, a escrita é uma forma de escapar. Escapar da realidade dura que a cerca desde que ela e a irmã eram pequenas. Abandonadas pela mãe quando tinham apenas oito anos e criadas pelo pai que sofre com alguns problemas psicológicos (me corrijam se eu estiver errada, mas foi isso que me pareceu que o pai delas tinha), e enquanto Wren tornou-se mais extrovertida, bebendo muito e indo a festas badaladas assim que entrou para a faculdade, longe dos olhos do pai, Cath foi a que ficou mais retraída, sentindo-se sempre responsável pelo pai às vezes instável e pela irmã meio “porra louca”, além de fechar-se no mundo dos livros e da escrita.

“Que sensação boa era escrever num quarto só dela, numa cama só dela! Perder-se no Mundo dos Magos e não voltar. Não ouvir voz alguma em sua mente a não ser as de Simon e Baz. Nem mesmo a dela. Era por isso que Cath escrevia histórias. Para ter esses momentos em que o mundo deles suplantava o mundo real. Quando ela podia simplesmente cavalgar nos sentimentos deles como uma onda, como algo flutuando morro abaixo.”
(Rainbow Rowell, p. 96)

Sabe aquele livro onde você se identifica logo de cara pela protagonista, por sua história e pelas histórias dos que a cercam?! Então, foi exatamente isso que aconteceu comigo. Por diversas vezes eu me vi na persona da Cath - alguém introvertido/tímido, que ama ler e escrever e que vive no mundo de sua série literária favorita (Harry Potter ) -, isso sem contar com os demais personagens, que poderiam facilmente ser meus amigos e parentes (aí, um Levi na minha vida...). Outra coisa que me agradou bastante foram as temáticas que Rainbow abordou neste romance, como família, amigos, amadurecimento, perdas e conquistas. Gostei muito da forma como ela falou disso tudo sem ficar muito “pesado”, de uma forma leve, simples e até mesmo divertida às vezes.
Por isso, este livro me deixou encantada em vários sentidos, e como eu disse anteriormente, Rainbow Rowell mais uma vez não me decepcionou - e garanto que não decepcionará quem já é fã de seus livros.

Uma história sobre fãs, escrita, leitura e crescimento que desde já recomendo a todos e todas!
Da esquerda para a direita: Arthur (pai das gêmeas), Wren, Cath, Levi, Reagan (colega de quarto de Cath) e Nick (colega de turma de Cath)

421 páginas | 1ª edição | 2014 | Novo Século





Nenhum comentário:

Postar um comentário